PUBLICIDADE
Topo

Alemanha pretende suspender alerta europeu de viagens e relaxar distanciamento

30.abr.2020 - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, durante entrevista sobre a crise do coronavírus - Sean Gallup/Getty Images
30.abr.2020 - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, durante entrevista sobre a crise do coronavírus Imagem: Sean Gallup/Getty Images

Michelle Martin, Markus Wacket, Thomas Seythal, Thomas Escritt e redação de Berlim

Berlim

26/05/2020 11h55

A Alemanha pretende suspender um alerta de viagens para 31 países europeus a partir de meados de junho, disse uma fonte do governo, e a mídia noticiou que as regras de distanciamento social impostas para evitar o coronavírus podem ser afrouxadas a partir de 29 de junho, uma semana antes do planejado.

Regiões alemãs estão conversando com a chanceler, Angela Merkel, sobre como relaxar mais as restrições adotadas em março para diminuir a disseminação do novo coronavírus. Um abrandamento inicial das medidas não parece ter causado um aumento de infecções significativo.

Equilibrando a necessidade de reativar a maior economia da Europa — que encara sua recessão mais profunda desde a Segunda Guerra Mundial — e proteger a saúde pública, os 16 premiês estaduais da Alemanha tentarão combinar o caminho a seguir com Merkel amanhã.

Ela aconselhou cautela, alertando para uma nova onda de infecções se as restrições aos contatos e à circulação forem amenizadas rápido demais.

Uma fonte do governo disse que, na quarta-feira, o gabinete da chanceler pode decidir suspender um alerta de viagens para 26 parceiros da União Europeia, mais Reino Unido, Islândia, Noruega, Suíça e Liechtenstein, a partir de 15 de junho, se os índices de infecção continuarem baixos e sob controle.

Isso abriria caminho para alertas de viagens diferenciados para certas regiões.

Markus Soeder, premiê da Baviera, o estado mais atingido, se opôs a uma reabertura muito rápida para o turismo.

"Na Itália, Espanha e França temos números de infecções completamente diferentes quando comparados com os da Alemanha, por isso peço ao governo federal que pense muito cuidadosamente sobre isto", disse.

"Ninguém deve ser enganado. O coronavírus continua mortal", disse Soeder, descrevendo a decisão do estado da Turíngia de adotar medidas voluntárias e localizadas como um "sina fatal".

Pelo sistema federativo da Alemanha, os estados podem decidir quais medidas impor.

O diário Bild disse que Merkel, sob pressão dos premiês estaduais, concordou em adiantar a data em que o distanciamento social deveria ser relaxado de 5 de julho para 29 de junho, citando o esboço de um documento que ainda precisa de aprovação.

O governo não quis comentar.

Apesar do número alto de casos, a Alemanha teve 8.302 mortes por covid-19 até o momento, uma taxa de mortalidade relativamente baixa.

Coronavírus