PUBLICIDADE
Topo

Embaixador dos EUA minimiza expectativa de reunião com Coreia do Norte, mas se diz pronto

Presidente dos EUA, Donald Trump, e líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un - Kevin Lamarque
Presidente dos EUA, Donald Trump, e líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un Imagem: Kevin Lamarque

Hyonhee Shin e Josh Smith

08/07/2020 11h56

O vice-secretário de Estado norte-americano, Stephen Biegun, refutou hoje as reportagens segundo as quais ele está tentando se encontrar com autoridades norte-coreanas durante uma visita à Coreia do Sul nesta semana, mas reiterou que seu país está disposto a retomar as conversas.

Principal autoridade dos Estados Unidos para a Coreia do Norte, Biegun está em Seul para reuniões com autoridades sul-coreanas, ofuscadas pela insistência norte-coreana de que não tem intenção de voltar às negociações de desnuclearização enquanto os EUA se ativerem a "políticas hostis".

Biegun se reuniu brevemente com a ministra das Relações Exteriores sul-coreana, Kang Kyung-wha, antes das conversas formais com o vice-chanceler, Cho Sei-young, e o principal negociador nuclear, Lee Do-hoon.

As conversas abrangeram desde a reação ao coronavírus até a divisão de custos da mobilização de militares norte-americanos na Coreia do Sul, mas o vizinho do norte dominou a pauta, disseram autoridades sul-coreanas.

A visita de Biegun despertou especulações a respeito de uma tentativa de retomar as conversas com Pyongyang antes da eleição presidencial dos EUA em novembro, mas ele minimizou as expectativas de novas reuniões.

"Permitam-me ser absolutamente claro, nós não pedimos uma visita", disse Biegun em uma coletiva de imprensa depois de se encontrar com Lee. "Esta visita nesta semana é para encontrar com nossos amigos e aliados próximos, os sul-coreanos."

Mas ele disse que está pronto para retomar as conversas a qualquer momento que os norte-coreanos determinarem.

"Torcemos para continuar nosso trabalho para um desfecho pacífico na península coreana, acredito que isto é perfeitamente possível", disse, acrescentando que o presidente dos EUA, Donald Trump, deu seu apoio total.

Biegun reiterou que seu país está disposto a ser flexível e chegar a um "acordo equilibrado" com a Coreia do Norte caso esta decida voltar a conversar, disse Lee.

Também é provável que Biegun se reúna com Suh Hoon, o novo conselheiro de Segurança Nacional e chefe de espionagem do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que foi fundamental para encaminhar as cúpulas entre Trump e o líder norte-coreano, Kim Jong Un, disse uma autoridade sul-coreana.

As conversas com a Coreia do Norte travaram desde então, e suas autoridades, incluindo Choe Son Hui, um diplomata graduado com quem Biegun se encontrou nas negociações, dizem não ter intenção de se reunir com os EUA.

(Reportagem adicional de Sangmi Cha)

Internacional