PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Canadenses em busca de vacinas recebem ajuda de voluntários na internet

06/05/2021 16h25

Por Anna Mehler Paperny e Moira Warburton

TORONTO (Reuters) - A distribuição de vacinas no Canadá, que se acelerou depois de um início lento, tem sido atormentada por confusões e mensagens misturadas, se tornando tão complicado para os canadenses se vacinarem que eles estão recorrendo a uma conta no Twitter e um canal no Discord, dirigidos por uma equipe de voluntários antenados, para levá-los até as doses.

Semelhante ao jogo eletrônico Pokémon Go, as contas publicam detalhes sobre os locais de vacinação, elegibilidade, quantas doses estão disponíveis e, às vezes, o tamanho das filas.

Ao contrário do jogo, a recompensa para os usuários do @VaxHuntersCan é a chance de ser vacinado contra o coronavírus.

A Vaccine Hunters Canada, grupo que existe há seis semanas, possui 66 voluntários que administram a página no Facebook, o bate-papo no Discord e a conta no Twitter, que já tem mais de 240.000 seguidores.

"A coisa mais louca é acompanhar as informações", disse Josh Kalpin, um dos quatro membros fundadores do grupo.

Kalpin, desenvolvedor de software, se envolveu quando outro cofundador o ajudou a agendar a vacinação para vários membros de sua família. "Eu só queria ajudar o máximo de amigos e familiares que pudesse", disse ele à Reuters.

Os voluntários recolhem informações sobre a disponibilidade e elegibilidade das vacinas e, uma vez verificadas, publicam nas redes.

Eles também respondem diariamente a milhares de perguntas de pessoas que precisam de ajuda para agendar ou que têm dúvidas sobre a vacina. Os voluntários da área da saúde ajudam, mas não fornecem orientação médica.

Toronto, a maior cidade do Canadá, concordou em fazer uma parceria com o grupo e fornecer informações sobre os locais disponíveis para vacinação.

"Embora eu ache ótimo que o grupo Vaccine Hunters esteja suprindo essa necessidade e sendo realmente útil na vacinação de muitos canadenses, acho que é uma abordagem injusta e a mensagem não chega a todos os canadenses igualmente", disse à Reuters a Dra. Amanpreet Brar, que tem trabalhado com grupos de base para levar vacinas a populações de alto risco.

(Por Anna Mehler Paperny em Toronto e Moira Warburton em Vancouver)