PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Fux deverá fazer discurso sobre limites de cada Poder na volta do recesso

Ministro Luiz Fux, presidente do STF - Nelson Jr./SCO/STF
Ministro Luiz Fux, presidente do STF Imagem: Nelson Jr./SCO/STF

Por Ricardo Brito

30/07/2021 14h51Atualizada em 30/07/2021 14h55

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, deverá fazer na segunda-feira (2) um discurso em que defenderá a atuação de cada um dos atores institucionais dentro dos seus limites para que a democracia se mantenha firme, segundo uma fonte relatou à Reuters.

O pronunciamento de Fux, que está sendo preparado por ele próprio para a volta dos trabalhos do Poder Judiciário, deve destacar que ninguém extrapole as suas funções.

O discurso se dará na esteira da escalada da tensão entre os Poderes Executivo e Judiciário nas últimas semanas.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a fazer duras críticas à cúpula do Judiciário. Ele tem se queixado da decisão do Supremo de que União, estados e municípios têm poderes para atuar no enfrentamento da pandemia —ele alega que o STF retirou competências que seriam dele.

Bolsonaro reclama ainda da articulação e da oposição de ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) à proposta de mudar o sistema de votação das urnas eletrônicas para incluir a impressão do voto.

Diferente de momentos anteriores, o Judiciário tem respondido com mais frequência e contundência aos ataques. O STF divulgou um vídeo nas redes sociais na quarta-feira (28) que rebate Bolsonaro sobre as responsabilidades atribuídas pela corte ao governo federal no enfrentamento à pandemia de Covid-19.

"O STF não proibiu o governo federal de agir na pandemia! Uma mentira contada mil vezes não vira verdade!", disse o STF em publicação no Twitter em alusão indireta à célebre frase de Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha nazista de Adolf Hitler, que dizia que "uma mentira dita mil vezes torna-se verdade".

O TSE também tem intensificado uma ofensiva, em pronunciamentos, entrevistas e redes sociais, rebatendo todas as alegações de supostas fraudes no atual sistema de votação.

Luiz Fux ainda não decidiu se vai convidar novamente Bolsonaro e os chefes do Poder Legislativo para se reunirem a fim de conversar sobre o momento atual, segundo a fonte.

O encontro anterior, no início do mês, foi desmarcado em cima da hora após o presidente ter sido internado inesperadamente para tratar uma obstrução intestinal.

Política