PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Bolsonaro volta a falar em privatizar Petrobras e diz que estatal atende apenas acionistas

27/10/2021 09h34

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro voltou a falar nesta quarta-feira que considera privatizar a Petrobras e afirmou que a estatal serve para lhe dar "dor de cabeça" e para prestar serviço aos seus acionistas.

"O combustível está subindo no mundo todo, aqui está subindo menos. Alguns acham que a culpa é minha. Eu posso interferir na Petrobras? Eu vou responder a processo, o presidente da Petrobras vai acabar sendo preso", disse em entrevista à TV Jovem Pan News, que estreou nesta quarta.

"É uma estatal que só me dá dor de cabeça. Nós vamos partir para uma maneira de quebrarmos mais monopólio, quem sabe até botar no radar da privatização. É isso que nós queremos."

Bolsonaro tem falado nos últimos dias na privatização da empresa. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), admitiu à Reuters que está sendo estudado um projeto de lei para venda de ações e privatização da companhia. Uma das alternativas é a venda de ações do governo, hoje maior acionista, para diluir a participação societária na estatal.

Na entrevista, Bolsonaro criticou a política de preços adotada a partir do governo de Michel Temer, que vincula os reajustes ao preço internacional do barril de petróleo brent e ao valor do dólar no país.

"Não adianta bater recorde na produção de barril, qual a consequência disso? O que o povo vai pensar? Nós somos autossuficientes? Somos. Mas dado a leis do passado, à vinculação do preço levando em conta o barril brent lá fora e o dólar aqui dentro, o reajuste é automático", afirmou.

"É uma empresa que hoje está prestando serviço para acionistas, mais ninguém. A chance de você perder algo na Petrobras é zero."

Apesar de falar em privatização, algo que não é cogitado por partidos de centro-esquerda, Bolsonaro acabou por repetir o discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de que a Petrobras hoje, apesar de ser estatal, só atende aos interesses dos acionistas.

"Você compra ação de qualquer empresa e pode perder. Na Petrobras você não perde nunca. Essa empresa é nossa ou de alguns privilegiados? Não é justo o que está acontecendo", reclamou.

A União é a maior acionista da Petrobras.

Na terça-feira, a empresa aplicou mais um reajuste, de 7% para a gasolina e 9,1% para o diesel. O próprio presidente já havia dito no final de semana que viria mais um aumento esta semana. Foi o segundo reajuste em um mês.

Apenas neste ano, os aumentos acumulados chegam a 73% para gasolina e 65,3% para o diesel, de acordo com as tabelas da Agência Nacional de Petróleo.