PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
4 meses

Primeira-ministra da Nova Zelândia cancela casamento em meio a novas restrições da Ômicron

23/01/2022 13h08

SYDNEY (Reuters) - A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou neste domingo ter cancelado sua cerimônia de casamento em meio à imposição de novas restrições no país para retardar a disseminação comunitária da variante Ômicron do coronavírus.

A Nova Zelândia imporá regras para o uso de máscaras e limitará aglomerações a partir da meia-noite deste domingo, depois que a comprovação de nove casos da Ômicron evidenciou a disseminação comunitária da variante das ilhas do norte para o sul após um casamento.

Uma família retornou a Nelson na Ilha Sul de avião depois de participar de um casamento e outros eventos em Auckland, na Ilha Norte. A família e um comissário de bordo testaram positivo.

A Nova Zelândia mudará para um cenário vermelho sob sua estrutura de proteção contra a Covid-19, com mais uso de máscaras. Ambientes internos como bares e restaurantes e eventos como casamentos serão limitados a 100 pessoas. O limite é reduzido para 25 pessoas se os locais não estiverem cobrando passes de vacina, disse Arden.

"Meu casamento não vai acontecer", disse ela a repórteres, acrescentando que lamentava por qualquer pessoa que estivesse em situação semelhante. Ardern não havia divulgado a data do casamento, mas havia rumores de que a cerimônia aconteceria em breve.

Questionada por repórteres como ela se sentiu com o cancelamento de seu casamento com o parceiro de longa data e apresentador de um programa de pesca Clarke Gayford, Ardern respondeu: "Assim é a vida".

Ela acrescentou: "Não sou diferente, ouso dizer, de milhares de outros neozelandeses que sofreram impactos muito mais devastadores da pandemia, o mais devastador é a incapacidade de estar com um ente querido às vezes quando estão gravemente doentes. Isso superará de longe qualquer tristeza que eu experimente."

As fronteiras da Nova Zelândia estão fechadas para estrangeiros desde março de 2020. O governo adiou os planos de reabertura em fases de meados de janeiro até o final de fevereiro por preocupação com um possível surto de Ômicron na vizinha Austrália.

Cerca de 94% da população da Nova Zelândia com mais de 12 anos está totalmente vacinada e cerca de 56% dos elegíveis receberam doses de reforço.

(Reportagem de Kirsty Needham)