PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
3 meses

Johnson precisa mudar "cultura" após acusações de festas durante lockdown, diz secretária de Relações Exteriores

26/01/2022 08h51

Por Guy Faulconbridge e Alistair Smout

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, precisa mudar a cultura na residência oficial de Downing Street após uma série de revelações de que sua equipe fez festas enquanto o povo passava por regimes de lockdowns contra a Covid-19, afirmou a secretária de Relações Exteriores, Liz Truss, nesta quarta-feira. 

Johnson, que em 2019 conquistou a maioria mais expressiva de seu Partido Conservador em mais de 30 anos, se prepara para a publicação de um inquérito oficial sobre as acusações de múltiplas festas em Downing Street durante o lockdown. 

Não estava imediatamente claro quando os resultados da investigação, conduzida pelo gabinete da funcionária civil Sue Gray, seria publicada, e especialmente se a polícia havia aberto sua própria investigação. 

Truss, considerada como uma possível futura primeira-ministra caso Johnson deixe o cargo, disse que Downing Street ainda não havia recebido as conclusões do relatório Gray, mas que elas sairiam em breve. 

Perguntada sobre as acusações de que Johnson e sua equipe haviam feito festas no coração do governo britânico enquanto as pessoas comuns eram proibidas de se despedir pessoalmente de seus parentes que estavam morrendo, Truss afirmou que algumas das informações eram preocupantes. 

"Claramente precisa haver uma mudança de cultura", disse Truss à BBC. "Precisamos obter os resultados do relatório, precisamos olhar os resultados e consertar os problemas que existem."

Perguntada sobre suas ambições em relação à liderança do Partido Conservador, Truss disse que Johnson, de 57 anos, fazia um grande trabalho como primeiro-ministro, cumprindo a realização do Brexit e respondendo à pandemia de Covid-19. Truss disse o apoia 100%.

Johnson já deu uma série de explicações sobre as festas: primeiro ele disse que as regras não haviam sido quebradas, mas então pediu desculpas ao povo britânico pela aparente hipocrisia das reuniões sociais. 

Ele negou ter sido avisado de que a festa à qual os convidados foram instruídos a "levar suas próprias bebidas" no dia 20 de maio de 2020, e à qual compareceu alegando pensar ser um evento de trabalho, seria inapropriada. 

A ITV reportou na segunda-feira que Johnson e sua hoje esposa Carrie compareceram a uma festa surpresa de até 30 pessoas para seu aniversário no Salão do Gabinete em Downing Street em junho de 2020, quando as reuniões internas estavam proibidas. 

Para provocar um desafio à sua liderança no Partido Conservador, 54 dos 359 parlamentares da legenda precisam escrever cartas de não confiança para o presidente do Comitê 1922 do partido. 

(Reportagem de Guy Faulconbridge e Alistair Smout)