PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Austrália retira conservadores do poder após 9 anos

21/05/2022 15h49

Por Byron Kaye e Lincoln Feast

SYDNEY (Reuters) - O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, reconheceu neste sábado sua derrota nas eleições, e o Partido Trabalhista, de oposição, está prestes a pôr fim a quase uma década de governo conservador, possivelmente com o apoio de independentes que fizeram campanha por políticas mais ecológicas.

Os resultados parciais mostravam que, ainda que os trabalhistas tenham obtido pequenos avanços, a coalizão liberal-nacional de Morrison foi castigada pelos eleitores na Austrália Ocidental e nos distritos urbanos abastados.

Os Verdes e um grupo dos chamados "independentes de cerceta" que fizeram campanha em favor da integridade, igualdade de gênero e combate às mudanças climáticas, obtiveram um bom resultado, aproveitando a ira dos eleitores pela inação diante do aquecimento global após algumas das piores inundações e incêndios na Austrália.

O novo parlamento parece que será muito menos cético em relação ao clima do que o governo de Morrison, muito favorável à mineração de carvão.

"Esta noite falei com o líder da oposição e primeiro-ministro de entrada, Anthony Albanese. E o parabenizei por sua vitória eleitoral nesta noite", disse Morrison, acrescentando que estava deixando a liderança de seu partido.

Albanese, dirigindo-se a seus apoiadores, disse que queria unir o país.

"Acho que as pessoas querem se unir, buscar nosso interesse comum, buscar esse senso de propósito comum. Acho que as pessoas estão cansadas da divisão, o que elas querem é se unir como nação e eu pretendo liderar isso."

Nos resultados obtidos até o momento, os trabalhistas ainda não haviam alcançado 76 das 151 cadeiras necessárias na Câmara para formar um governo isolado. Os resultados definitivos podem demorar devido à contagem de um número recorde de votos por correio.

Com 55% dos votos apurados, os trabalhistas tinham 72 cadeiras e a coalizão de Morrison, 52. Independentes e os Verdes tinham 11, segundo projeções da Australian Broadcasting Corp. Outras 16 cadeiras estavam em dúvida.

(Reportagem de Renju Jose, John Mair e Byron Kaye em Sydney e Sonali Paul em Melbourne)