Trump faz comício em cidade de Wisconsin onde suas promessas de novos empregos não foram cumpridas

Por Gram Slattery

RACINE, Wisconsin (Reuters) - Donald Trump discursou para seus apoiadores nesta terça-feira em um comício em Racine, Wisconsin, buscando se apresentar como o melhor candidato para a economia dos EUA, mesmo com o fracasso de uma grande fábrica local que ele inaugurou há seis anos.

O ex-presidente republicano esteve nessa cidade à beira de um lago, em grande parte de classe trabalhadora, em 2018, para comemorar o que se esperava ser um investimento de 10 bilhões de dólares do grupo tecnológico taiuanês Foxconn.

Durante seu mandato de 2017 a 2021, Trump elogiou a instalação, projetada para produzir TVs, como um exemplo de como suas políticas "América Primeiro" tinham rejuvenescido a indústria norte-americana.

Mas, embora a Foxconn tenha previsto originalmente 13.000 novos empregos na fábrica, a empresa agora espera criar apenas cerca de 1.500 posições. Os campos vazios a oeste do centro de Racine, entrecortados por estradas vazias, são um símbolo local de promessas não cumpridas.

A empresa, que não respondeu a um pedido de comentário, disse anteriormente que mudou seus planos devido a uma redução na demanda projetada para os produtos da fábrica.

"Acho que as pessoas veem isso como uma piada", disse Nancy Anderson, uma professora aposentada de 67 anos, enquanto tomava café da manhã em um café local.

O discurso de Trump para seus apoiadores em um parque à beira do lago estava em andamento no meio da tarde. Entre os tópicos que ele abordaria, de acordo com sua equipe de campanha, estava o fato de a alta inflação sob o comando de seu rival, o presidente norte-americano, Joe Biden, ter prejudicado os residentes de Wisconsin.

Em um comunicado à Reuters, a campanha de Trump culpou Biden por não conseguir controlar a inflação e aumentar os salários.

Continua após a publicidade

"As políticas de Joe Biden resultaram em preços mais altos, salários mais baixos e uma indústria de manufatura estagnada para as famílias americanas - e isso se traduziu em uma aprovação muito baixa para Biden em Wisconsin", disse a porta-voz Anna Kelly.

A estreia pouco animadora da Foxconn abriu uma linha de ataque para os democratas locais e nacionais que dizem que Trump não cumpriu suas promessas econômicas. Eles esperam que essa mensagem ressoe em Wisconsin, um dos poucos Estados que devem ser decisivos na eleição de 5 de novembro.

De acordo com uma média de pesquisas mantida pelo site de pesquisas FiveThirtyEight, Trump lidera em Wisconsin com uma vantagem mínima de 0,2 ponto percentual sobre Biden, depois de ter perdido no Estado em 2020.

Os dois candidatos estão competindo furiosamente por cada voto.

Biden esteve em Racine no mês passado para divulgar a construção de um data center da Microsoft de 3,3 bilhões de dólares em um local onde a Foxconn deveria construir parte de sua planta.

"A Foxconn acabou sendo apenas isso - um golpe", disse Biden aos apoiadores no campus de Sturtevant da Gateway Technical College.

Continua após a publicidade

Ainda assim, Trump tem uma base sólida de apoio, com muitos eleitores dispostos a superar a Foxconn e algumas autoridades dizendo publicamente que estão felizes com a criação de qualquer emprego.

Anthony Eckman, de 28 anos, que está desempregado, disse que ficou desapontado quando uma vaga para a qual ele planejava se candidatar na Foxconn não se concretizou.

Mas ele disse que suas finanças pessoais pioraram com Biden e que provavelmente votará em Trump este ano, apesar de ter ficado fora da última eleição.

"Gostaria que tivéssemos candidatos melhores este ano, mas Biden não mostrou sinais de melhorar este país na minha opinião", disse Eckman. "Acho que vou votar em Trump este ano."

Deixe seu comentário

Só para assinantes