Eslováquia diz que ceder jatos e defesa aérea à Ucrânia foi sabotagem do governo anterior

(Reuters) - O governo da Eslováquia pediu à polícia que investigue o ex-ministro da Defesa Jaroslav Nad por doar caças e um sistema de defesa aérea à Ucrânia a fim de ajudar Kiev a se defender contra a invasão da Rússia, disse uma autoridade governamental nesta sexta-feira.

O novo governo, sob a liderança do primeiro-ministro Robert Fico, promoveu uma guinada política acentuada após assumir o poder em outubro de 2023 e interrompeu qualquer fornecimento de ajuda militar à Ucrânia, embora tenha permitido a continuidade dos fornecimentos comerciais.

No ano passado, o governo anterior da Eslováquia forneceu uma dúzia de caças MiG-29 de fabricação russa, a maioria dos quais não estava operacional, bem como o sistema de defesa aérea KUB.

A doação do sistema de defesa aérea expôs o espaço aéreo eslovaco e colocou os cidadãos em risco, disse Igor Melicher, secretário de Estado do Ministério da Defesa e membro do partido governista Smer-SD.

"Estou convencido de que Nad traiu a Eslováquia", disse Melicher em um briefing.

"O Ministério da Defesa está entrando com uma queixa criminal por suspeita de crime de sabotagem, ou traição, abuso de poder e descumprimento de deveres fiduciários."

Nad tem rejeitado qualquer irregularidade e disse que tomaria a mesma decisão novamente. Não houve nenhum novo comentário imediato dele nesta sexta-feira.

Um dos argumentos usados por Melicher é que o governo estava governando como interino e, portanto, tinha autoridade limitada para tomar decisões de política externa.

As alegações são um sintoma do cenário político eslovaco altamente polarizado, no qual Fico tem acusado repetidamente seus antecessores de buscar processos criminais contra seu partido quando ele estava na oposição.

Continua após a publicidade

Seu gabinete eliminou uma unidade especial que perseguia a corrupção, substituiu funcionários importantes da polícia e tomou medidas para substituir a administração da imprensa pública.

(Por Jan Lopatka em Praga)

Deixe seu comentário

Só para assinantes