República Democrática do Congo detecta ao menos 25 casos de mpox em Goma, maioria em campos de refugiados

PARIS (Reuters) - Pelo menos 25 casos de uma perigosa nova cepa de mpox que está se espalhando pela República Democrática do Congo foram detectados na cidade de Goma, no leste, majoritariamente em campos abrigando pessoas fugindo de um conflito próximo, disseram autoridades de saúde nesta quarta-feira. 

O Congo teve 20.000 casos e mais de 1.000 mortes por mpox, principalmente entre crianças, desde o começo de 2023. Mais de 11.000 casos, incluindo 443 mortes, foram relatados até agora neste ano. 

As autoridades recentemente aprovaram o uso de vacinas para combater o surto, mas nenhuma delas está atualmente disponível fora de testes clínicos no país. 

O chefe da equipe de resposta nacional contra a epidemia de mpox, Cris Kacita, disse em uma entrevista que a maioria dos novos casos foram encontrados em campos de refugiados. 

Ele disse que os casos foram infectados com uma nova cepa do vírus que está se espalhando na província de Kivu do Sul. Goma é a capital e maior cidade da província vizinha de Kivu do Norte.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e cientistas soaram o alarme no mês passado sobre a situação da mpox no Congo, incluindo a disseminação de uma nova cepa de mpox em Kivu do Sul. 

A mpox é endêmica no Congo há década, mas uma nova cepa do clado 1 do vírus surgiu no ano passado. É uma infecção viral que se espalha por contato próximo, causando sintomas similares ao da gripe e lesões cheias de pus. A maioria dos casos é leve, mas a doença pode matar. 

(Reportagem de Sonia Rolley)

Deixe seu comentário

Só para assinantes