Mais de mil manifestantes anti-Putin são detidos na Rússia

A dois dias da posse de Vladimir Putin para um quarto mandato presidencial, a oposição russa saiu às ruas neste sábado (5) em todo o país para protestar contra o ...

Navalny foi impedido de concorrer à eleição presidencial de 18 de março, vencida por Vladimir Putin com mais de 76% dos votos. A candidatura do opositor foi impugnada devido a uma condenação judicial. Ele denuncia uma manobra orquestrada pelo Kremlin.

As manifestações deste sábado não foram autorizadas pelas autoridades. Mesmo assim, milhares de partidários de Navalny protestaram em várias cidades russas aos gritos de "A Rússia será livre" e "Abaixo do Czar".

Brutalidade policial

As detenções começaram no Extremo Oriente e na Sibéria, olocal dos primeiros protestos. Segundo a organização OVD-Info, ao menos 1.029 opositores foram detidos pela polícia neste sábado, sendo 574 em Moscou e 164 em Tcheliabinsk, na região do Ural.

Segundo a ONG, a "brutalidade policial marcou as detenções". Vários detidos apresentam arranhões ou marcas de pancadas. Ao menos uma pessoa foi hospitalizada.

Alexei Navalny foi detido assim que chegou a manifestação de Moscou. Apesar do uso de gás lacrimogênio pela polícia para dispersar os manifestantes, seus partidários continuavam concentrados no final da tarde na Praça Pushkin, no centro da capital russa.

Numerosos militantes pró-Navalny já haviam sido detidos na sexta-feira. O líder opositor havia convocado a manifestação pelo Twitter. "O velho covarde Putin pensa que é um czar. Não é um czar, e é por isso que você precisa protestar em 5 de maio", escreveu.

Putin governa a Rússia há quase 20 anos. A oposição e os observadores internacionais denunciaram fraudes nas últimas eleições presidenciais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos