PUBLICIDADE
Topo

Tailândia: buscas continuam para encontrar crianças em caverna

26/06/2018 11h36

Centenas de pessoas continuavam mobilizadas nesta terça-feira (26), pelo terceiro dia consecutivo, na região norte da Tailândia, para encontrar um grupo de 12 crianças e seu treinador de futebol, presos na caverna de Tham Luang, na fronteira com Mianmar, que foi inundada.

Mergulhadores do Exército tailandês trabalhavam no fundo da caverna, onde a água atingiu em alguns setores até cinco metros de altura após as fortes chuvas dos últimos dias. A poucos metros do local, os pais das crianças organizaram uma oração. Eles passaram a noite em barracas diante da caverna. "Vim buscar meu filho", disse uma das mães, sem conter as lágrimas.

 "Rezei a Deus por eles, mas em meu coração sei que vão sobreviver", disse o pai de uma das crianças. As autoridades acreditam que o grupo, meninos com idades entre 11 e 16 anos, que integram um time de futebol, entraram no sábado na caverna para escapar da chuva. O ministro do Interior, Anupong Paojinda, afirmou que o governo trabalha contra o tempo para encontrar as crianças.

O comandante da Junta Militar, Prayut Chan-O-Cha, que retornou de uma viagem à Grã-Bretanha e à França, pediu a "mobilização de todos" para encontrá-los vivos. O acesso à caverna, que tem vários quilômetros de galerias, fica em um caminho muito inclinado. Três equipes de emergência trabalham no local, uma do lado de fora e duas dentro, incluindo mergulhadores.

Mais chuvas

Soldados começaram a construir um reservatório para impedir a entrada de água que cai da montanha e continua a inundar a caverna. A meteorologia prevê mais chuvas nesta terça-feira (26), o que pode prejudicar os esforços de resgate.

Os primeiros dias de buscas não permitiram encontrar o menor rastro do grupo. O alerta veio de uma das mães, quando seu filho não retornou para casa no sábado à noite. As equipes de emergência encontraram bicicletas, chuteiras e mochilas na entrada do local na segunda-feira (25). Algumas fontes citaram pegadas em uma parte da caverna.

As buscas começaram no sábado (23) à noite, mas foram interrompidas pouco depois. O nível da água na caverna subiu, dificultando as buscas e exigindo a presença de mergulhadores nas partes inundadas. A caverna Tham Luang não é muito frequentada por turistas por ficar em uma área remota, mas atrai os moradores da região, que veneram uma pequena estátua de Buda no local.