Topo

Morre ex-presidente americano George H.W. Bush, aos 94 anos

01/12/2018 08h32

O ex-presidente americano George Herbert Walker Bush morreu, aos 94 anos, em Houston, nos Estados Unidos. O anúncio foi feito na madrugada deste sábado (1°) pelo filho, o ex-presidente George W. Bush. 

O ex-presidente americano George Herbert Walker Bush morreu, aos 94 anos, em Houston, nos Estados Unidos.

George H. W. Bush foi presidente dos Estados Unidos de 1989 a 1993, o primeiro chefe de Estado americano após a Guerra Fria. Seu mandato ficou principalmente marcado por liderar a coalizão internacional que venceu as tropas do ditador iraquiano Saddam Hussein, em 1990, no Kuwait.

"Jeb, Neil, Marvin, Doro e eu temos a tristeza de anunciar que depois de 94 anos notáveis, nosso querido pai morreu", afirma George W. Bush em um comunicado divulgado neste sábado no Twitter. No documento, o ex-presidente é descrito como "um homem dotado de nobreza de caráter e o melhor pai que um filho ou uma filha poderiam desejar". 

O falecimento do republicano George H.W. Bush acontece alguns meses após a morte da esposa, Barbara, em abril. Casados durante 73 anos, eles deixaram cinco filhos e 17 netos.

Classe política homenageia "Bush pai"

As homenagens ao 41° presidente dos Estados Unidos, também conhecido como "Bush pai", por ser o pai do ex-presidente George W. Bush, se multiplicam entre personalidades políticas americanas neste sábado. 

"Através de sua autenticidade, seu espírito e seu firme engajamento em favor da fé, da família e seu país, o presidente Bush inspirou gerações de cidadãos americanos", afirmou o atual presidente americano, Donald Trump, através de comunicado emitido em Buenos Aires, onde participa da cúpula do G20.

"A América perdeu um patriota e um humilde servidor", escreveu o ex-presidente Barack Obama. Segundo ele, sua atuação permitiu "reduzir o flagelo das armas nucleares e formar uma vasta coalizão internacional para expulsar um ditador do Kuwait". 

A família Bush indicou que o ex-presidente faleceu em Houston, no Texas, ao lado de parentes. Os detalhes de seu funeral serão divulgados em breve, segundo a porta-voz dos Bush, que também confirmou que o corpo do republicano será transportado a Washington para uma homenagem nacional. 

Mais jovem paraquedista do Exército americano

Com idade avançada, nos últimos anos George H.W. Bush se locomovia apenas em cadeira de rodas. Mas comemorava seus aniversários com um salto de paraquedas para lembrar sua experiência como o paraquedista mais jovem do Exército americano durante a Segunda Guerra Mundial. 

Durante o conflito, George H.W. Bush foi o único sobrevivente de um avião dos Estados Unidos derrubado no Oceano Pacífico. No final da guerra, de volta ao estado natal de Massachussetts, esse filho de banqueiro retomou seus estudos de economia na prestigiada universidade de Yale. Com o diploma no bolso, se instalou no Texas, onde fundou sua companhia petroleira. 

Depois do casamento com Barbara e de acumular uma imponente fortuna, começou se dedicar à política. Foi eleito como deputado, falhou na tentativa de se eleger senador, mas foi escolhido pelo presidente Richard Nixon para ser o representante dos Estados Unidos nas Nações Unidas. Em 1973, tornou-se o líder do Partido Republicano. 

De 1981 a 1989 foi vice de de Ronald Reagan. Aos 64 anos, em 1989, tornou-se o 41° presidente americano ao bater o democrata Michael Dukakis. Na liderança do país, foi bem sucedido na política estrangeira: apoiou a reunificação da Alemanha e obteve a redução de armamentos com a assinatura do tratado Start I, em 1991. 

No entanto, o republicano será principalmente lembrado por vencer as tropas de Saddam Hussein no Kuwait, na Primeira Guerra do Golfo, no início dos anos 90. Um "sucesso" que não será suficiente para convencer os Estados Unidos sobre a performance de seu governo. Descontentes, os americanos observam seus déficits explodirem, o país em recessão e o desemprego batendo recordes. Para piorar a popularidade de George H.W. Bush, a insegurança aumentou e conflitos raciais tomaram conta de Los Angeles. 

Pouco conectado às preocupações dos americanos, o resultado de seu único mandato na liderança da Casa Branca chega em 1992. Ao tentar se reeleger, é batido por um jovem democrata praticamente desconhecido da população: Bill Clinton.