PUBLICIDADE
Topo

"Brasil não vai assinar nenhum acordo climático na próxima COP 25", anuncia Bolsonaro no Chile

23/03/2019 15h44

Após reunir-se com o presidente chileno, Sebastián Piñera, no Palacio La Moneda, Jair Bolsonaro anunciou neste sábado (23) que o Brasil não pode comprometer-se a atingir metas climáticas impossíveis porque precisa também preocupar-se com o seu desenvolvimento. Durante a coletiva à imprensa, ele antecipou que uma delegação brasileira vai participar da próxima COP 25, que acontece no Chile, mas que "o Brasil não vai assinar nenhum acordo" no evento.

Após reunir-se com o presidente chileno, Sebastián Piñera, no Palacio La Moneda, Jair Bolsonaro anunciou neste sábado (23) que o Brasil não pode comprometer-se a ...

Márcio Resende, enviado especial da RFI a Santiago

Jair Bolsonaro não confirmou a participação dele no evento. "Caso for possível, estarei presente, mas estarei muito bem representado pelo nosso ministro do Meio-ambiente". De qualquer maneira, o presidente antecipou que não vai assinar nenhum acordo com objetivos inatingíveis para o Brasil, que deve se preocupar com o seu desenvolvimento. "O Brasil não está fora da COP 25, mas, por uma questão que preocupa a todos que têm conhecimento sobre o país e que hão de concordar comigo, nós não podemos assinar um acordo onde alguns objetivos são impossíveis de serem atingidos", avisou Bolsonaro.

O presidente brasileiro afirmou que, apesar disso, o Brasil não pode ser acusado pela comunidade internacional de não preservar o meio ambiente. "Afinal de contas, o Brasil nada deve para o mundo no tocante à preservação do meio ambiente, se forem levadas em conta as nossas áreas e as áreas deles (dos países desenvolvidos). Temos essa preocupação (com o meio ambiente), mas, juntamente com ela, temos a preocupação com o desenvolvimento", contrabalançou.

“Perda de soberania”

Bolsonaro disse que o Brasil vai comparecer “com muita satisfação” na COP 25 no Chile e que, com toda a certeza, todos ganharão com essa “participação brasileira". Ele agradeceu ao presidente chileno por abrigar a conferência depois que o Brasil abdicou de sediar o evento. "Quero agradecer a vossa excelência por ter abraçado a COP 25 em seu país", disse.

Para Bolsonaro, os acordos climáticos podem significar perda de soberania. "Minha grande preocupação é a região amazônica. Ela não pode continuar correndo o risco de ser internacionalizada. É um patriotismo da nossa parte. É uma preocupação, sim, de mantermos aquela área sob o nosso domínio", salientou, desconfiado, Bolsonaro.

O Chile foi escolhido para sediar a próxima reunião da ONU sobre alterações climáticas depois que Jair Bolsonaro, em novembro, como presidente eleito, abdicou da candidatura brasileira. A conferência tem como objetivo determinar como serão implementados os compromissos que foram adotados em 2015 no Acordo Climático de Paris, do qual, durante a campanha eleitoral, Bolsonaro ameaçou retirar o Brasil.

A coletiva à imprensa dos dois presidentes ocorreu após um encontro de trabalho no Palácio de La Moneda. Antes de voltar a Brasília, Bolsonaro participou de um almoço ofercido por Sebastián Piñera. Pela manhã, ele se encontrou com empresários chilenos.