PUBLICIDADE
Topo

Igreja Católica deve permitir que padres casem?, pergunta jornal francês

26/03/2019 10h30

O jornal Aujourd'hui en France desta terça-feira (26) trata de um assunto extremamente polêmico: a possibilidade de padres católicos casarem. "Por que não?", diz a manchete da reportagem de capa do diário.

O jornal Aujourd'hui en France desta terça-feira (26) trata de um assunto extremamente polêmico: a possibilidade de padres católicos casarem.

Aujourd'hui en France explica que o assunto veio à tona há alguns dias, quando o arcebispo da cidade francesa de Poitiers, Pascal Wintzer, se pronunciou a favor da ordenação de homens casados. Por outro lado, ele é contra a possibilidade de casamentos de religiosos que se engajaram ao celibato.

O jornal publica que a proibição de os religiosos terem uma vida de casal foi eliminada a partir do século XI por diversos ramos da Igreja. O braço latino dos católicos é o único atualmente a conservar a imposição.

"Se essa questão ressuscita é porque o clero enfrenta uma crise de vocações mas sobretudo devido aos escândalos de abusos sexuais", afirma Aujourd'hui en France.

Segundo o arcebispo Wintzer, a possibilidade de que padres casem permitiria à sociedade vê-los como homens. Em entrevista ao diário, ele afirma que uma das razões para que abusos sexuais sejam cometidos é essa "visão sagrada do padre". A ideia é contestada pelo porta-voz da Conferência dos Bispos da França, Olivier Ribadeau-Dumas, para quem esses crimes são "relacionados ao exercício da autoridade, não ao celibato".

Decisão cabe ao papa

Aujourd'hui en France explica que cabe ao papa autorizar o casamento a padres. Entretanto, embora Francisco aparente ser mais aberto sobre essa questão do que seus antecessores, o atual sumo pontífice não tem nenhuma intenção de questionar o celibato sacerdotal.

Por outro lado, em 2017, Francisco anunciou que refletia sobre a possibilidade de ordenar homens casados, com idade avançada e extremamente implicados na Igreja Católica, mas apenas em localidades isoladas onde não há padres, como ilhas do Oceano Pacífico e regiões da Amazônia.

Aujourd'hui en France entrevistou um francês que renunciou à vocação de padre para se casar, David Gréa, que é hoje pai de um bebê de um ano e meio. Para ele, o celibato é uma obrigação que não está originalmente prevista na Bíblia, fonte de frustração e pressão. Em sua opinião, um padre casado seria mais eficaz, equilibrado e à vontade em suas relações com os outros. "Ele pregaria melhor porque saberia do que fala", salienta.

Em editorial, Aujourd'hui en France considera que esse é o momento de terminar com uma regra que marginaliza os religiosos. "O padre está se tornando uma figura fragmentada na sociedade que tem a missão evangelizar, conduzindo o catolicismo a uma perda de influência inexorável", afirma. Por isso, para o diário, já é tempo que a Igreja reconsidere essa imposição.