PUBLICIDADE
Topo

Canadenses reclamam de gastos que governo pode ter com Meghan e Harry

17/01/2020 11h52

O princípe Harry e Meghan, duquesa de Sussex, anunciaram na segunda-feira (8) a intenção de dividir seu tempo entre o Reino Unido e o Canadá e se afastar dos compromissos reais. A decisão surpreendeu a família real britânica que, depois de uma reunião, propôs um período de transição. Mas qual é a opinião dos canadenses sobre a presença de Meghan e Harry?

O princípe Harry e Meghan, duquesa de Sussex, anunciaram na segunda-feira (8) a intenção de dividir seu tempo entre o Reino Unido e o Canadá e se afastar dos compromissos reais. A decisão surpreendeu a família real britânica que, depois de uma reunião, propôs um período de transição. Mas qual é a opinião dos canadenses sobre a presença de Meghan e Harry?

Segundo a correspondente da RFI no país, Pascale Guéricolas, a população não têm uma grande simpatia pela família real, principalmente no Québec, de influência francesa. A rainha da Inglaterra, Elizabeth, é considerada a chefe de Estado do país, de acordo com a Constituição.

De acordo com uma pesquisa recente, de cada quatro canadenses, três questionam o custo da estadia prolongada do casal. O governo canadense avalia a possibilidade de arcar com as despesas de proteção policial. "Vivemos em uma sociedade que considera arcaico gastar dinheiro público para pagar as contas do casal e seu ritmo de vida literalmente real", disse uma jovem ouvida pela RFI.

Além da questão financeira, a vinda do casal leva ao questionamento sobre a ligação entre a Grã-Bretanha e o Canadá, uma ex-colônia britânica cujo regime político é a monarquia constitucional.

"A Constituição deve mudar, não temos que viver em um regime britânico. É um pouco ridículo ainda depender dele", declarou outro entrevistado. Segundo a correspondente da RFI, o Canadá aceita receber Harry e Meghan, mas a condição é que eles não sejam tratados como privilegiados.

Independência financeira

Em uma reunião de família na segunda-feira na residência real de Sandringham, no leste da Inglaterra, a rainha Elizabeth, de 93 anos, concordou com seu filho Charles - herdeiro do trono - seus dois filhos - William e Harry - em realizar um período de transição para que o príncipe possa abandonar gradualmente seu papel de primeiro plano na realeza.

O casal alegou se sentir desconfortável com a pressão da mídia e disse que pretende abandonar seu papel de membros de primeira classe da família real, modificar seu relacionamento com a imprensa, dividir seu tempo entre Reino Unido e América do Norte e ser financeiramente independente.

Meghan ex-atriz americana de 38 anos que deixou sua carreira quando se casou com ele em 2018, viajou para o Canadá na semana passada e reencontrou o pequeno Archie, filho do casal. A ex-atriz morou no país por causa da série de televisão "Suits", na qual trabalhava.

 

Notícias