PUBLICIDADE
Topo

Macron bate recorde de popularidade, apesar das críticas sobre gestão da pandemia de Covid-19

27/03/2020 12h09

A popularidade do presidente francês, Emmanuel Macron, não para de crescer desde o início da pandemia de coronavírus. A imagem do chefe de Estado nunca foi tão positiva, apesar das inúmeras críticas à maneira como a França está administrando a propagação da Covid-19, que já fez mais de 1.700 mortos no país.

A popularidade do presidente francês, Emmanuel Macron, não para de crescer desde o início da pandemia de coronavírus. A imagem do chefe de Estado nunca foi tão positiva, apesar das inúmeras críticas à maneira como a França está administrando a propagação da Covid-19, que já fez mais de 1.700 mortos no país.

Segundo uma pesquisa de opinião divulgada nesta sexta-feira (27) pelo instituto Ipsos, Macron registra 44% de avaliações positivas sobre sua atuação como presidente. O índice é o mais elevado já registrado desde julho de 2017, logo após sua eleição. Outro estudo, do instituto BVA, também segue essa tendência, com 40% de apreciação positiva.

O chefe de Estado ganhou entre 7 e 14 pontos percentuais de satisfação em apenas um mês. Parte desse resultado é fruto dos pronunciamentos feitos por Macron em rede nacional de televisão. Os discursos do presidente foram seguidos por boa parte da população, algo raro em um país onde culturalmente a televisão tem um papel menos importante como veículo formador de opinião.

Macron virou "capitão" do país

Segundo Jérôme Fourquet, um dos diretores do instituto Ifop - outra referência na França - a alta na popularidade não é uma surpresa. "É um reflexo tradicional: durante uma tempestade, depositamos nossa confiança no capitão", explica. Fourquet compara a situação atual de Macron com a do ex-presidente François Hollande, após os atentados terroristas de 2015, quando o então chefe de Estado registrou uma alta de 20% em sua popularidade.

Os índices de apreciação do primeiro-ministro, Edouard Philippe, e do atual ministro da Saúde, Olivier Véran - que assumiu o cargo há pouco menos de um mês - também não param de subir.

Confiança em baixa

Paradoxalmente, mesmo se os franceses consideram que Macron vem adotando uma postura digna de um presidente, a confiança da população diante da gestão da crise sanitária provocada pelo coronavírus despenca. De acordo com uma pesquisa divulgada na quarta-feira (25) pelo institulo Elabe, 56% dos franceses consideram que o Executivo "administra mal" a situação.

Outros estudos apontam a mesma tendência. Segundo o instituto Ifop, a confiança da população no governo diante da pandemia caiu 7 pontos e chegou a 48%, enquanto o instituto OpinionWay assinala uma queda de 4 pontos em apenas dois dias, chegando a 49%.

Falta de máscaras e pouco acesso aos testes irrita

A principal razão dessas opiniões negativas está ligada à falta de máscaras de proteção, um dos temas mais sensíveis na França desde o início da pandemia. Além da dificuldade de acesso aos testes de Covid-19, feito apenas em pacientes que já apresentam sintomas avançados e precisam ser urgentemente hospitalizados.

A população compara a estratégia francesa com a dos países vizinhos, como a Alemanha - onde o governo aplica os testes em larga escala - e considera que a França não estava pronta para enfrentar o coronavírus. Essa é a opinião de três em cada quatro pessoas ouvidas pelo instituto Elabe.

Confinamento é visto como boa medida

Em contrapartida, a população parece convencida de que o confinamento é uma boa solução para conter a propagação do vírus. Mesmo se nem todos respeitam a regra, a imposição do isolamento na França é vista como uma boa medida para 98% dos entrevistados pelo instituto Odoxa. Além disso, 88% dos que responderam à mesma pesquisa consideram que a decisão deveria ter sido tomada bem mais cedo.