PUBLICIDADE
Topo

China para em homenagem às vítimas do coronavírus

04/04/2020 06h22

Na China, as autoridades estimam que a situação da epidemia do coronavírus está sob controle e que chegou a hora de decretar luto nacional e homenagear as vítimas da Covid-19. Às 10h deste sábado (4), 23H em Brasília, o país parou e realizou três minutos de silêncio, constatou a correspondente da RFI na China Zhifan Liu.  

Na China, as autoridades estimam que a situação da epidemia do coronavírus está sob controle e que chegou a hora de decretar luto nacional e homenagear as vítimas da Covid-19. Às 10h deste sábado (4), 23H em Brasília, o país parou e realizou três minutos de silêncio, constatou a correspondente da RFI na China Zhifan Liu.

 

A homenagem nacional foi organizada no Dia dos Mortos, celebrado tradicionalmente no país em 4 de abril. Ela aconteceu mais de dois meses após o início das drásticas medidas adotadas na China para combater a doença que contaminou oficialmente 81.639 pessoas e matou 3.326. O regime comunista fez um tributo especial ao mártir da epidemia, o médico Li Wenliang.

A correspondente da RFI diz que o nome de Li Wenliang entrou para a memória coletiva chinesa e lembra que sua morte provocou uma onda de indignação inédita no país. Ele foi o primeiro a alertar sobre os riscos do novo coronavírus em dezembro de 2019, chegou a ser sancionado pelas autoridades, que na época preferiam silenciar sobre o surgimento da doença, e morreu vítima da Covid-19.

Dia dos Mortos

Todos os anos no Qingming Jie (Dia dos Mortos), os chineses visitam os túmulos de seus familiares nos cemitérios. Mas neste ano, ainda em vivendo os efeitos da crise sanitária, as autoridades decidiram impor limites a esta tradição. Em Wuhan, berço do coronavírus, os moradores só poderão realizar este ritual no final do mês de abril.

Mas os chineses saíram às ruas de todo o país e queimaram, como manda a tradição, dinheiro nas calçadas para garantir prosperidade aos finados. Por causa da epidemia, este Dia dos Mortos ganhou uma dimensão particular.

Às 10h, sirenes foram acionadas, as pessoas pararam nas ruas, no metrô, no trabalho. Durante os três minutos de silêncio, os motoristas e condutores de navios e trens acionaram suas buzinas. Na cidade de Wuhan, os funcionários do Hospital Tongji se concentraram na frente do local, todos com as cabeças inclinadas em direção ao prédio principal.

O presidente Xi Jinping participou da homenagem em uma cerimônia na sede do governo em Pequim, acompanhado por assessores fiéis. Como na Praça Tiananmen de Pequim, a bandeira nacional foi colocada a meio pau em todo o país.

 

Notícias