PUBLICIDADE
Topo

Contaminações por coronavírus batem recorde na Índia, Irã e México

05/07/2020 12h08

Número de mortes e contaminações pela Covid-19 continua a aumentar no mundo. A Índia e o Irã registraram neste domingo (5) um recorde de novos casos de infecções. O México ultrapassou a França e já é o quinto país em número de vítimas fatais. O continente americano é o epicentro da pandemia. 

Número de mortes e contaminações pela Covid-19 continua a aumentar no mundo. A Índia e o Irã registraram neste domingo (5) um recorde de novos casos de infecções. O México ultrapassou a França e já é o quinto país em número de vítimas fatais. O continente americano é o epicentro da pandemia. 

O ministério da Saúde indiano relatou quase 25.000 novos casos e 613 mortes devido ao coronavírus em 24 horas, o balanço mais grave desde o começo da epidemia no país, no fim de janeiro.

A cidade de Nova Deli chegou a converter um centro espiritual em um gigantesco local para isolamento de pacientes e hospital. Do tamanho de 20 campos de futebol, com 10.000 leitos, muitos deles feitos com caixas de papel, a instalação tratará pacientes que apresentem sintomas leves.

O governo indiano teme que meio milhão de pessoas sejam contaminadas até o fim de julho. O número de casos na Índia chega a 673.000, com 19.268 vítimas mortais. O país se aproxima da Rússia, que confirmou no sábado (4) 674.000 casos de Covid-19.

Para tentar conter a crise econômica, as medidas de confinamento estabelecidas na no fim de março foram progressivamente revogadas, autorizando a maioria das atividades, mas escolas, metrôs, academias e piscinas continuaram fechadas.

As cidades mais atingidas são Mumbai, Nova Délhi e Chennai. O governo indiano afirma ter administrado bem a crise sanitária, mas críticos dizem que o número real de casos não pode ser conhecido porque o país realiza poucos testes.

Irã segue em alta

Outro país que bateu um recorde de casos de infecção foi o Irã. "Infelizmente perdemos 163 de nossos queridos compatriotas nas últimas 24 horas", declarou Sima Sadat Lari, porta-voz do ministério da Saúde neste domingo, durante uma coletiva com a imprensa.

"Nas últimas 24 horas, 2.560 pessoas testaram positivo para o coronavírus, elevando para 240.438 o total de contaminações", acrescentou Lari.

O Irã foi o primeiro país fora da China a anunciar casos de contaminação pelo vírus e é a nação mais duramente atingida pela pandemia no Oriente Médio. As novas mortes elevam o balanço oficial da pandemia no país a 11.571.

No sábado, as autoridades alertaram para o que consideram um relaxamento por parte da população das regras de precaução para impedir a propagação do vírus.

O presidente Hassan Rohani reforçou a obrigatoriedade do uso de máscaras em lugares públicos. Segundo a prefeitura de Teerã e reportagens da televisão estatal, muitos habitantes não usam a proteção nos transportes públicos, apesar de obrigatórias há mais de dois meses.

O governo iraniano não impôs um confinamento à população, mas decretou uma série de restrições, como proibição de reuniões, principalmente religiosas, limitação da atividade econômica e de viagens. No entanto, para não piorar a crise econômica - resultado da imposição de sanções americanas contra a República Islâmica em 2018 - que atravessa o país, o governo relaxou progressivamente as restrições a partir de abril, quando a epidemia parecia recuar.

A doença então voltou a ganhar terreno a partir de maio. Para as autoridades sanitárias, a maioria das províncias do pais ainda não atravessou o pico da epidemia.  

América Latina

O México totalizou 30.366 mortes por Covid-19, segundo balanço divulgado no sábado pelo Ministério da Saúde, superando a França em número de mortes, e se tornando o quinto país com mais vítimas causadas pela pandemia. O país acumula 252.165 infectados pelo vírus.

No continente americano, que se tornou o epicentro da pandemia, o México é a terceira nação com mais mortes, depois dos Estados Unidos e do Brasil. A capital é o distrito mais afetado pela doença e, embora tenha iniciado uma reabertura econômica parcial neste mês, o governo ordenou o fechamento neste final de semana de muitas lojas no centro histórico, que costumam atrair multidões.

Situação no mundo

A pandemia de coronavírus causou pelo menos 530.865 mortes no mundo desde que a China anunciou oficialmente a aparição da doença em dezembro, segundo um balanço realizado pela AFP neste domingo, com base em fontes oficiais.

Desde o início da epidemia, foram contabilizados mais de 11.296.470 casos em 196 países ou territórios. Delas, pelo menos 5.895.500 se recuperaram, segundo as autoridades.

Este número de casos diagnosticados positivos reflete apenas uma parte do total, devido às diferentes políticas adotadas pelos países para diagnosticá-los. Alguns fazem testes apenas nas pessoas hospitalizadas, e em muitos países, a capacidade de fazer o exame é limitada.

Os Estados Unidos é o país mais afetado, com 129.676 mortes e 2.839.917 casos, seguido pelo Brasil com 64.265 mortos e 1.577.004 casos, Reino Unido com 44.198 mortos e 284.900 casos, Itália com 34.854 mortos e 241.419 casos, e agora o México.

A China continental (sem contar Hong Kong nem Macau) registrou 83.553 infectados, dos quais 4.634 morreram e 78.516 se recuperaram totalmente.

Desde o começo da epidemia, a Europa soma 199.252 mortos (2.721.295 casos), Estados Unidos e Canadá 138.396 (2.945.234 casos), América Latina e Caribe 126.648 (2.869.221), Ásia 37.862 (1.472.093), Oriente Médio 17.480 (813.851), África 11.094 (464.804) e Oceania 133 mortos (9.972 casos).

Com informações da AFP