PUBLICIDADE
Topo

"Meu público ainda é uma incógnita", diz cantor e produtor Thiago Nassif ao lançar "Mente"

10/07/2020 15h04

Lançado no início de julho, o novo álbum do cantor, compositor e produtor Thiago Nassif, é resultado de pelo menos quatro anos de criação, pesquisas e muitas experimentações de um artista plural. 

Lançado no início de julho, o novo álbum do cantor, compositor e produtor Thiago Nassif, é resultado de pelo menos quatro anos de criação, pesquisas e muitas experimentações de um artista plural. 

Lançado no início de julho, o novo álbum do cantor, compositor e produtor Thiago Nassif, é resultado de pelo menos quatro anos de criação, pesquisas e muitas experimentações de um artista plural. 

Produzido pelo célebre produtor norte-americano Arto Lindsay, que participa de algumas faixas, o disco traz em suas 10 faixas uma profusão de ritmos como no-wave, música eletrônica, jazz, bossa nova e tropicalismo.

"Tenho feito muitas experimentações sonoras e essa coisa polirrítmica, de uma abrangência de linguagens vem mesmo de adquirir uma técnica para fazer isso acontecer", justifica Thiago, que tem formação de engenharia musical nos Estados Unidos e também de produção.

"Comecei o disco criando loops de guitarra e passei a estruturar como se fosse arquitetura mesmo. Estruturei a partir de repetições e fui criando batidas eletrônicas em cima, colocando o instrumental e depois trouxe os músicos", explicou sobre o processo criativo de seu quarto trabalho.  

"No próprio estúdio, fui tendo ideias e criando novas harmonias. Este disco foi muito esse processo de ouvir as ideias e ver qual a necessidade de cada uma delas", acrescenta.

"Mente" é de muitas parcerias com "amigos e músicos queridos e muito preciosos que trazem sua bagagem e contribuição para que as músicas se transformem e resultem em uma criação de conjunto", diz.

Multi-instrumentista, Thiago utilizou um estúdio móvel para gravar suas parcerias muitas vezes em locais diferentes. "No Rio, gravei muitas coisas no estúdio do Jonas Sá, na casa do Eduardo Manso, do Kassim, do produtor Moreno Veloso.  Vinícius Cantuária de passagem pelo Brasil, também participou", conta. 

Agenda cancelada e lives

O lançamento em plena pandemia do novo coronavírus não impediu um acolhimento caloroso e elogioso em jornais, revistas e sites especializados. O francês Libération, dedicou um artigo intitulado: "Thiago Nassif, fusão de sentimentos", referindo-se ao álbum como uma "mistura gêneros musicais que retrata um país à beira do caos".

Thiago deveria estar em turnê na Europa, com passagens por Londres, Paris, e Berlim, mas a programação foi cancelada e ficará para o ano que vem. De seu apartamento no Rio de Janeiro, onde se instalou desde 2016, o paulista acompanha a repercussão de seu trabalho, que tem mais visibilidade fora de seu próprio país.  "Meu público ainda é uma incógnita, tenho muita repercussão fora do país, mais do que aqui dentro do Brasil, talvez pela minha música ser mais universal, em algum sentido. Por isso pode dialogar mais com os ouvidos de fora", diz. 

No dia 4 de julho, um dia após o lançamento oficial de "Mente", Thiago se rendeu a uma live, mas ao seu estilo.

"Eu acredito muito na multidisciplina. Acabei fazendo uma live que acabou mais sendo uma performance. Como também sou artista visual, resolvi transformar em algo mais performático do que apenas sentar e tocar. Foi muito interessante. Tem que saber se inventar nesses modos que a gente tem. Senão, você tem um monte de coisa igual e fica monótono. É muito interessante ter a liberdade de se expressar", finaliza.