PUBLICIDADE
Topo

Justiça espanhola suspende novo confinamento de 200 mil pessoas na Catalunha

Reabertas com horários pré-determinados de entrada e saída, as praias do litoral da Espanha terão capacidade e distanciamento social monitorados por drones equipados com sensores capazes de acompanhar a quantidade de banhistas. - Getty Images
Reabertas com horários pré-determinados de entrada e saída, as praias do litoral da Espanha terão capacidade e distanciamento social monitorados por drones equipados com sensores capazes de acompanhar a quantidade de banhistas. Imagem: Getty Images

Da RFI*

13/07/2020 07h54

A justiça da Espanha suspendeu hoje o novo confinamento de 200.000 moradores de uma região da Catalunha ao redor da cidade de Lérida. A volta da quarentena havia sido ordenada ontem pelas autoridades regionais após uma forte alta dos casos de covid-19.

"O Tribunal da Guarda de Lérida concorda em não ratificar as medidas da Resolução de 12 de julho de 2020 adotadas pelo governo regional, por considerá-las contrárias ao direito", afirma a conta no Twitter do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha.

O governo regional pode recorrer da decisão. "Estamos analisando do ponto de vista jurídico para ver como resolvemos" a situação, declarou à imprensa a secretária de Saúde da região, Alba Verges. Ela ressaltou que as restrições são necessárias para evitar a disseminação das contaminações. "São medidas necessárias que não são adotadas por capricho de ninguém ou por prazer. Não faríamos se não fosse absolutamente necessário", completou, antes de pedir aos moradores da zona em que vivem quase 200.000 pessoas que permaneçam em suas casas, apesar da decisão da justiça.

Esta é a primeira vez desde 21 de junho, quando terminou o confinamento geral na Espanha, que o isolamento domiciliar volta a ser decretado para uma região do país. A zona afetada abrange Lérida e sete localidades ao redor da cidade, a 150 km de Barcelona. Ela já havia sido isolada do restante do país na semana passada.

A Espanha é um dos países mais atingidos do mundo pela pandemia, com 28.400 mortos. No domingo as regiões da Galícia e do País Basco, norte do país, organizaram eleições com medidas reforçadas de higiene e centenas de eleitores excluídos por estarem infectados com o novo coronavírus.

Com a flexibilização do confinamento, a Europa, continente com mais mortes (202.505 em um total de 2,8 milhões de casos), observa novos focos de contágio.

América Latina passa a ser segunda região com mais mortos

Depois da Europa, a América Latina e Caribe passou a ser nesta segunda-feira a segunda região mais afetada do mundo pela pandemia do novo coronavírus em número de mortos. O subcontinente tem mais de 144.758 vítimas fatais oficialmente registradas, de acordo com um balanço da AFP, e supera o balanço dos Estados Unidos e Canadá (144.023 óbitos acumulados).

O Brasil é o país mais afetado, contabilizando quase a metade dos registros de toda a região, com 72.100 mortes e 1.864.681 casos. Depois do Brasil, aparece o México (35.006), que superou a Itália em número de mortes e está agora em quarto lugar na lista mundial. A situação no Peru, com 11.870 óbitos, e no Chile, com 6.979 vítimas, também é preocupante.

A América Latina registra ao todo mais de 3.370.000 casos de Covid-19. Vários especialistas consideram que o número oficial total de mortes provocadas pela pandemia no subcontinente está subnotificado.

*Com informações da AFP.

Coronavírus