PUBLICIDADE
Topo

Aumento de casos de Covid-19 leva França a instituir uso obrigatório de máscaras em locais fechados

16/07/2020 10h16

O governo francês resolveu acelerar nesta quinta-feira (16) a entrada em vigor de uma medida anunciada nesta semana pelo presidente Emmanuel Macron para evitar uma segunda onda do coronavírus no país. A obrigatoridade do uso de máscaras em locais públicos estava prevista para o 1° de agosto, mas será adotada na próxima semana diante do aumento do número de casos. 

O governo francês resolveu acelerar nesta quinta-feira (16) a entrada em vigor de uma medida anunciada nesta semana pelo presidente Emmanuel Macron para evitar uma segunda onda do coronavírus no país. A obrigatoridade do uso de máscaras em locais públicos estava prevista para o 1° de agosto, mas será adotada na próxima semana diante do aumento do número de casos. 

No último fim de semana, um grupo de médicos fez um apelo para que o uso de máscara se tornasse obrigatório em todos os locais públicos fechados. Macron ouviu os pedidos e, em entrevista à imprensa francesa, na terça-feira (14), confirmou a medida. Nesta quinta-feira, o primeiro-ministro francês anunciou que a partir da próxima semana, a medida será obrigatória em todo o país.

Paralelamente, o ministro francês da Saúde, Olivier Verán, afirmou que "sinais de uma retomada da epidemia", ainda que fracos, vêm sendo assinalados por hospitais de Paris.

Consciente da urgência da situação, no departamento de Mayenne, no noroeste da França, a medida já começou a ser adotada nesta quinta-feira em seis municípios que registram aumento de casos de Covid-19. Já a prefeitura de Saint-Ouen, no norte de Paris, determinou a obrigatoriedade do uso de máscara em locais públicos fechados a partir desta segunda-feira (13).

Dúvidas sobre a medida 

A aplicação da medida suscita dúvidas na França. "Mas o que é um lugar público fechado?", questiona o jornal Le Parisien em sua manchete. O diário lembra que, atualmente, na França, o uso de máscara já é obrigatório em vários locais em que há forte circulação de pessoas, como no transporte público, locais de culto, museus, monumentos, teatros, cinemas, entre outros. 

Le Parisien destaca que, na França, não há uma a definição jurídica para o termo "espaço público fechado". Em entrevista ao diário, a advogada Emilie Chandler, especialista em direito da saúde, acredita que a medida deve valer para todos os locais não-abertos, sejam comerciais ou administrativos, onde há circulação de pessoas.

O jornal Le Figaro também se debruça sobre o assunto. "As modalidades exatas da prática desta nova medida ainda não foram claramente definidas", salienta. No entanto, o diário publica que a imposição do uso da máscara se deve ao aumento do número de contaminações nas últimas semanas na França, especialmente após o relaxamento das medidas de lockdown. 

Eficácia das máscaras

Le Figaro apoia a decisão do governo francês, citando como exemplo estudos recentes sobre a eficiência do uso de máscara para barrar a propagação do coronavírus. Uma pesquisa realizada na China mostrou que, dos 318 focos da doença em 120 cidades do país, apenas um estava relacionado a um local exterior, sugerindo que "o compartilhamento de espaços fechados é um risco maior de infecção". 

Outros estudos também mostram que doentes assintomáticos podem contaminar outros indivíduos sem mesmo tossir e que a Covid-19 pode ser transmitida pelo simples ato de respirar ou falar em distâncias superiores que o espaço de um ou dois metros entre as pessoas. O uso da máscara ajudaria a prevenir esse tipo de transmissão.

Le Figaro lembra que o Ministério da Saúde fez um apelo para que os cidadãos não esperem a próxima semana para começar a adotar essa proteção tão desdenhada no início da crise sanitária, mas que agora se mostra essencial. Além do uso da máscara, as autoridades também pedem que outras medidas de proteção não sejam esquecidas: como o distanciamento físico e a higiene frequente das mãos.