PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Milhares de animais de estimação são abandonados nas estradas da França durante as férias

Dois filhotes de cachorros são colocados em uma gaiola - Getty Images
Dois filhotes de cachorros são colocados em uma gaiola Imagem: Getty Images

24/07/2020 10h54

O jornal Libération de hoje traz uma matéria sobre o abandono de animais que aumenta na França durante o período das férias de julho e agosto. Aproximadamente 46 mil bichos de estimação abandonados são recolhidos anualmente pela SPA (Sociedade Protetora dos Animais), um terço deles durante o verão. Muitos são deixados à beira da estrada, no caminho das férias.

Os motivos por trás do abandono são diversos: alergias, mudanças ou parentes que não sabem o que fazer com o cachorro de um familiar que morreu. Para Jacques-Charles Fombonne, presidente da SPA, não é tanto uma questão financeira. Ainda que cuidar de um cachorro doente possa custar caro, Libération lembra que a associação tem uma rede de centros com veterinários para animais de famílias que não podem pagar pelo tratamento.

Para o presidente da associação, o problema é outro: a compra impulsiva, sem preparação do animal e do dono, que tem expectativas equivocadas sobre o comportamento normal de um cachorro ou de um gato. Os vendedores de pets vendem "bolas de pelo fofinhas, sem garantir que os compradores possam cuidar deles", precaução que é tomada pelos voluntários da associação.

"Na internet, é possível comprar com alguns cliques filhotes de todas as raças", diz o jornal. Às vezes o cliente se decepciona com o animal, que é tratado como um "produto" e quer se desfazer dele, esquecendo que ele precisa ser educado com paciência. "O mínimo a fazer seria deixá-los em um abrigo, que é gratuito", diz Fombonne. "É melhor que abandoná-los na estrada".

Prisão e multa

Mas, no futuro, este tipo de comportamento poderia custar caro. No mês passado, deputados franceses apresentaram uma proposta de lei que visa a reforçar as sanções contra os maus-tratos e o abandono. Quem abandonar os bichinhos na estrada, poderia ser condenado a até quatro anos de prisão e 60 mil euros de multa. O problema é que seria necessário encontrar o proprietário do animal abandonado.

O texto propõe também a possibilidade de retirar a licença de propriedade, obrigatória na França para animais perigosos, de um cuidador que maltratasse seu animal, impedindo que a pessoa volte a comprar ou adotar um pet.

A proposta de lei também quer fazer com que a esterilização de gatos de seis meses seja obrigatória. A associação de defesa dos animais já propõe atualmente cobrir 50% dos custos da esterilização. Em quatro anos, um casal de gatos pode gerar até 20 mil descendentes, que nem sempre encontram cuidador. Para a organização, a esterilização é o melhor meio de limitar os maus-tratos e o abandono.

Internacional