PUBLICIDADE
Topo

Sophie Pétronin, última francesa refém no mundo, foi libertada no Mali

08/10/2020 17h00

Sophie Pétronin, que havia sido sequestrada por grupos extremistas no Mali, em 2016, foi libertada. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (8) pela presidência do país africano. A funcionária de uma ONG humanitária era a última refém francesa no mundo.

Sophie Pétronin, que havia sido sequestrada por grupos extremistas no Mali, em 2016, foi libertada. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (8) pela presidência do país africano. A funcionária de uma ONG humanitária era a última refém francesa no mundo.

Além de Sophie Pétronin, Soumaïla Cissé, ex-ministro malinês das Finanças sequestrado em março deste ano em Tombouctou, no norte do país, foi libertado ao mesmo tempo. "Os ex-reféns estão a caminho de Bamaco", informou a presidência do Mali por meio das redes sociais.

Sophie Pétronin dirigia uma ONG franco-suíça que ajudava crianças desnutridas. Ela foi sequestrada por homens armados no dia 24 de dezembro de 2016 em Gao, cidade no norte do país, onde vivia há anos.

Soumaïla Cissé foi sequestrado durante a campanha presidencial, para a qual ele era candidato. Figura importante da oposição política no Mali, o ex-ministro ficou três vezes em segundo lugar na corrida para a presidência.

Ambos teriam sido detidos por radicais islâmicos ligados ao braço local do grupo terrorista Al-Qaeda (Aqmi).

Nenhum detalhe foi divulgado sobre as circunstâncias da libertação ou o estado de saúde de Pétronin, de 75 anos, e Cissé, 70 anos. Mas desde o fim de semana havia indícios de que a francesa poderia se solta em breve.

A francesa havia escapado de um possível sequestro por extremistas no Mali em 2012. Na época, graças a um disfarce, ela conseguiu fugir do consulado da Argélia no país no momento em que o prédio estava sendo tomado por jihadistas.