PUBLICIDADE
Topo

Internacional

"Náusea": imprensa francesa repudia violência policial contra homem negro

27.nov.2020 - Jornais estampam o rosto do produtor musical Michel Zecler, violentamente agredido no sábado passado por policiais em Paris. As cenas foram captadas pelo circuito interno de câmeras de vídeo de um estúdio de música - RFI
27.nov.2020 - Jornais estampam o rosto do produtor musical Michel Zecler, violentamente agredido no sábado passado por policiais em Paris. As cenas foram captadas pelo circuito interno de câmeras de vídeo de um estúdio de música Imagem: RFI

27/11/2020 10h31

O espancamento de um produtor musical negro por quatro policiais em Paris é duramente condenado pela imprensa francesa nesta sexta-feira (27). As imagens viralizaram nas redes sociais e chocaram a opinião pública.

"Náusea": apenas uma palavra estampa a capa do jornal Libération, que exibe em página inteira o rosto ensanguentado do produtor musical Michel Zecler, registradas após a agressão. Os policiais afirmam que o homem foi abordado por não estar usando máscara na rua e teria reagido de forma "ameaçadora" à intervenção. No entanto, imagens das câmeras de segurança mostram o contrário, mostram a vítima no chão, tentando se defender de socos e pontapés, além de xingamentos racistas, que duram mais de cinco minutos.

Libération lembra que o trágico episódio ocorre poucos dias depois de a Assembleia francesa ter aprovado, em primeira leitura, o projeto de lei sobre a "segurança global", dentro do qual o artigo 24 suscita uma grande polêmica. O texto prevê punir quem captar e difundir imagens que possam comprometer a integridade física e moral da polícia. Segundo Libé, a agressão da qual Zecler foi alvo, além das violências contra migrantes, durante a evacuação de um acampamento no leste de Paris na segunda-feira (23), provam a necessidade da "livre difusão de imagens das forças de ordem em ação".

"Ministro do Interior sob pressão após novas violências da polícia" é manchete no jornal Le Figaro. A matéria destaca as reações de Gérald Darmanin, que sempre se recusou a reconhecer a brutalidade das forças de segurança da França. No entanto, em entrevista na TV na noite de quinta-feira (26), o ministro do Interior não teve escapatória e classificou o episódio como "extremamente chocante".

Investigações

O jornal Le Parisien publica que os quatro policiais autores das violências contra o produtor musical foram suspensos e Darmanin pediu a expulsão deles. Zecler foi interrogado na quinta-feira pela Inspeção Geral da Polícia Nacional, encarregada da investigação do caso.

O órgão vai comparar a versão da vítima a dos policiais, que, segundo o boletim de ocorrência ao qual Le Parisien teve acesso, afirma que o produtor musical foi abordado porque não estava usando máscara e demonstrou "nervosismo" ao perceber a presença dos policiais, representando "perigo".

O caso mobiliza a opinião pública na França, publica Le Parisien. Desde a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e o líder da esquerda radical, Jean-Luc Mélenchon, que se dizem escandalizados, aos jogadores de futebol Antoine Griezmann e Kylian Mbappé, que se pronunciaram nas redes sociais condenando a agressão.

Internacional