PUBLICIDADE
Topo

Olimpíadas de Tóquio não terão espectadores do exterior devido à pandemia de Covid-19

20/03/2021 11h15

Os torcedores vindos de outros países não poderão assistir aos Jogos Olímpicos de Tóquio, previstos para serem realizados entre 23 de julho e 8 de agosto deste ano, devido aos riscos sanitários ligados à pandemia de Covid-19. O anúncio foi feito pelos organizadores neste sábado (20).

Os torcedores vindos de outros países não poderão assistir aos Jogos Olímpicos de Tóquio, previstos para serem realizados entre 23 de julho e 8 de agosto deste ano, devido aos riscos sanitários ligados à pandemia de Covid-19. O anúncio foi feito pelos organizadores neste sábado (20).

"Tomando como base a situação atual da pandemia, é altamente improvável que a entrada no Japão esteja garantida neste verão [no Hemifério Norte] para pessoas procedentes de países estrangeiros", explicaram os organizadores em um comunicado.

As autoridades japonesas já determinaram que espectadores estrangeiros não poderão entrar no Japão durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. O anúncio foi feito "a fim de esclarecer a situação para aqueles que compraram ingressos e que moram no exterior e permitir que possam ajustar seus planos de viagem neste momento". 

O Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Paraolímpico Internacional (CPI) "respeitam e aceitam plenamente essa conclusão", ressaltaram os organizadores. Segundo eles, os detalhes da devolução do dinheiro dos ingressos já adquiridos serão informados em breve.

O comunicado foi divulgado no final de uma reunião on-line entre cinco partes relacionadas aos Jogos: o comitê organizador, a cidade de Tóquio, o governo japonês, o COI e o CPI.

O presidente do COI, o alemão Thomas Bach, deu a entender já no início da reunião que "decisões difíceis" seriam necessárias para fortalecer a segurança das Olimpíadas. "Nossa primeira prioridade foi, é e será a segurança de todos os participantes e do povo japonês", acrescentou Bach, lembrando os "sacrifícios da parte de todos".

Decisão aguardada

O anúncio já era esperado, depois que vazou a informação de que os organizadores acreditavam que a proibição de entrada de visitantes estrangeiros seria a única opção para a realização das competições. O COI havia previsto exceções para certos convidados estrangeiros, mas as regras provavelmente serão acirradas. 

A chefe do comitê organizador dos Jogos de Tóquio, Seiko Hashimoto, admitiu que será "difícil" até mesmo para as famílias dos atletas que participarem.

A proibição é um fato histórico: "Nunca aconteceu de espectadores estrangeiros serem proibidos de entrar no país-sede dos Jogos, nem mesmo durante a gripe espanhola nos Jogos de 1920", lembrou Jean-Loup Chappelet, professor emérito da Universidade de Lausanne (Suíça) e especialista em Olimpíadas.

Agora, os organizadores terão uma dura tarefa pela frente para devolver o dinheiro das centenas de milhares de ingressos vendidos fora do Japão, quando o orçamento para Tóquio-2020 já ultrapassa US$ 15 bilhões, um recorde para o evento.

Os organizadores terão que decidir ainda quantos espectadores locais poderão assistir às provas. Inicialmente, eles sugeriram que abordariam este assunto por volta de abril, mas Thomas Bach afirmou que a decisão possivelmente será adiada para uma data próxima ao dia da abertura, 23 de julho.

Outras medidas draconianas contra a Covid-19 estão previstas para garantir um "ambiente seguro" nos Jogos de Tóquio, que foram adiados no ano passado devido à pandemia.

Vacinação de atletas  

A vacinação dos participantes não será obrigatória, mas o COI a incentiva. O governo japonês lançou em fevereiro sua campanha de imunização, mas por enquanto diz respeito apenas aos trabalhadores da área da saúde. A maior parte da população do país não será vacinada antes dos Jogos.   

Chamado de "os Jogos da pandemia", as Olimpíadas de Tóquio favorecerão as redes de televisão, cujos direitos de transmissão são cruciais para as finanças do COI.

No ano passado, os organizadores queriam fazer desses Jogos uma celebração da "vitória da humanidade sobre o vírus". Mas seu discurso mudou radicalmente nas últimas semanas, insistindo agora na "ansiedade" dos japoneses e na "prioridade" de sua segurança.

Há vários meses, a opinião pública japonesa tem sido esmagadoramente hostil ao evento, preferindo um novo adiamento ou cancelamento. Uma pesquisa publicada em 8 de março pelo jornal Yomiuri revelou que apenas 18% dos japoneses são a favor da vinda de torcedores estrangeiros aos Jogos.

O Japão, até agora, controlou a crise de saúde relativamente melhor do que outros países, mas registrou um ressurgimento de infecções entre novembro e o final de janeiro, obrigando o governo a reimpor temporariamente o estado de emergência em grande parte do país, incluindo Tóquio.

(Com informações da AFP