PUBLICIDADE
Topo

Depois de 7 meses de restrições, franceses contam as horas para reabertura de cafés e restaurantes

18/05/2021 09h00

Os franceses passaram os últimos dias de olho na previsão do tempo, na expectativa da reabertura de cafés, museus, cinemas, teatros, estádios e do comércio prevista nesta quarta-feira (19). Para alegria geral, as chuvas dos últimos dias vão dar uma trégua e as pessoas poderão se entregar ao prazer da atividade favorita no país: ocupar as mesas de cafés e restaurantes instaladas nas calçadas. Mas atenção: o protocolo sanitário prevê que todos continuem usando máscaras para conversar, mesmo estando ao ar livre, e só retirem a proteção facial na hora de comer. 

Os franceses passaram os últimos dias de olho na previsão do tempo, na expectativa da reabertura de cafés, museus, cinemas, teatros, estádios e do comércio prevista nesta quarta-feira (19). Para alegria geral, as chuvas dos últimos dias vão dar uma trégua e as pessoas poderão se entregar ao prazer da atividade favorita no país: ocupar as mesas de cafés e restaurantes instaladas nas calçadas. Mas atenção: o protocolo sanitário prevê que todos continuem usando máscaras para conversar, mesmo estando ao ar livre, e só retirem a proteção facial na hora de comer.

Depois de sete meses sem poder sair de casa à noite, será possível ficar na rua até 21h, com a ampliação do horário do toque de recolher, adotado em outubro passado e em vigor atualmente de 19h às 6h. A segunda etapa de levantamento das restrições marca o início do retorno "à vida normal" para os franceses, interrompida no último trimestre do ano passado durante a segunda onda da pandemia.

Há semanas, os franceses começaram a se preparar para o grande dia. Os comerciantes retomaram os contatos com fornecedores e clientes. Gerentes de cafés e restaurantes receberam milhares de pedidos de reservas de mesas e a concorrência é acirrada: por enquanto, só será possível receber 50% da clientela, para respeitar o distanciamento físico entre as mesas nas calçadas e pátios. Nesta segunda etapa, só as áreas externas desses estabelecimentos poderão funcionar. Se tudo correr bem, ou seja, o nível de contaminações permanecer controlado, em 9 de junho os restaurantes poderão servir em ambientes fechados.

Com o toque de recolher ampliado de 19h para 21h, a rotina de terminar o trabalho correndo para fazer um supermercado, e ainda sem nenhuma possibilidade de divertimento no final do dia, um momento de relaxamento e convívio social, será página virada.

Quando o presidente Emmanuel Macron anunciou a data de 19 de maio, ele enfatizou: "Retornaremos aos hábitos que caracterizam a arte de viver à francesa, nossa convivialidade, nossa cultura, o esporte", disse Macron no final de abril.

Dados de hospitalizações recuam aos patamares de outubro de 2020

Os números mais recentes da pandemia são positivos. O terceiro lockdown, decretado no fim de março, derrubou as hospitalizações.

Na segunda-feira (17), o número de pacientes internados em cuidados intensivos continuou a diminuir, passando para 4.186 doentes, contra 4.255 no dia anterior. O número total de hospitalizações (22.749 pessoas) foi o menor em seis meses, de acordo com dados da agência pública de saúde. Paralelamente, o país alcançou a marca de 20 milhões de pessoas vacinadas contra a Covid-19.

Segundo o ministro francês da Saúde, Olivier Verán, a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre poderá ser cancelada daqui a algumas semanas. No entanto, parques de atração, como a Disney de Paris, que reabrirá em 17 de junho, anunciou que o uso de máscaras será exigido a partir de 6 anos de idade.

Reabertura do comércio e locais culturais

As lojas e shoppings, fechados desde meados de março na região parisiense, ou abril em regiões menos afetadas pela variante britânica do vírus, reabrem nesta quarta-feira com um protocolo sanitário reforçado: um cliente por 8 metros quadrados; 4 metros em 9 junho. Em várias regiões, os lojistas poderão abrir aos domingos, para recuperar o faturamento perdido.

Para alegria dos cinéfilos, o reencontro com o escurinho do cinema é uma questão de horas. Teatros, galerias e museus também reabrem ao público amanhã, sempre com uma capacidade reduzida para evitar aglomerações. Os cinemas e teatros terão lotação máxima de 35% da plateia habitual e teto de 800 espectadores. Na terceira fase, em 9 de junho, o público subirá para 65% da capacidade das salas, e o teto para 5.000 pessoas.

A ministra da Cultura, Roselyne Bachelot, afirmou que a célebre Festa da Música, realizada em 21 de junho para comemorar a chegada do verão no hemisfério norte, ocorrerá, mas os participantes deverão utilizar máscaras.

Os franceses também vão voltar para as arquibancadas das arenas esportivas, no limite de 800 pessoas em ambientes fechados e 1.000 ao ar livre. As quadras esportivas e as piscinas municipais podem reabrir na quarta-feira para "praticantes prioritários", como menores, com público limitado a 35% e teto de 800 espectadores. Esse teto será ampliado para 5.000 pessoas com a instauração do passe sanitário em 9 de junho, quando as piscinas e as quadras de esportes serão reabertas para todos.