PUBLICIDADE
Topo

Após proibir público estrangeiro, Tóquio cancela fan zones nas Olimpíadas

19/06/2021 09h37

As seis fan zones - áreas previstas para acolher as torcidas com telões e shows - previstas em Tóquio durante os Jogos Olímpicos, foram canceladas devido à crise sanitária. O anúncio foi feito neste sábado (19) pela governadora da capital japonesa, Yuriko Koike.

As seis fan zones - áreas previstas para acolher as torcidas com telões e shows - previstas em Tóquio durante os Jogos Olímpicos, foram canceladas devido à crise sanitária. O anúncio foi feito neste sábado (19) pela governadora da capital japonesa, Yuriko Koike.

"Nós decidimos cancelar estes eventos que reúnem muitas pessoas", declarou Koike diante de jornalistas após uma reunião com o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga. "Para compensar, vamos utilizar ainda mais internet para criar a atmosfera dos Jogos e divulgar várias informações culturais", completou Suga.

O Japão já proibiu a entrada do público estrangeiro em seu território durante as Olimpíadas e também reduziu o número de voluntários e convidados. O comitê organizador de Tóquio-2020 anunciou nesta sexta-feira que  número de participantes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do exterior será de 53.000, sem contar os cerca de 15.500 atletas. Este número é bem inferior às 177.000 pessoas inicialmente esperadas, incluindo autoridades, pessoas que trabalham para patrocinadores e jornalistas.

O anúncio foi feito dois dias antes de uma reunião importante com os membros da organização dos Jogos, que tem o objetivo de decidir o que será autorizado para os espectadores locais. Políticos e organizadores querem autorizar algumas pessoas a assistir às competições, mas especialistas sanitários que aconselham o governo acreditam que é mais seguro que as competições sejam realizadas sem público.

O Japão foi relativamente poupado pela pandemia em relação a outros países e teve 14.000 mortes causadas pelo Covid-19, desde o começo da pandemia. Mas a crise sanitária colocou sob pressão o sistema hospitalar e a realização das Olimpíadas gera temores sobre o aumento de casos e uma propagação maior de variantes, já que apenas 6% da população japonesa está completamente vacinada.  

Vacinação

Milhares de voluntários e dirigentes olímpicos começaram a ser vacinados em Tóquio nesta sexta-feira (18) em Tóquio, a pouco mais de um mês para o início dos Jogos.  Os atletas japoneses já começaram a ser imunizados. O Comitê Olímpico Internacional (COI) doou doses da Cominarty, a vacina da Pfizer/BioNTech, para 40.000 pessoas, entre elas funcionários de aeroportos, jornalistas locais e árbitros olímpicos.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suko, lembrou que as partidas de beisebol e de futebol continuaram com um número limitado de espectadores durante o estado de emergência, e "poucos focos" de contágio foram detectados. Ele acrescentou, no entanto, que as medidas poderão ser reforçadas caso a situação piore.

Sobre os espectadores em Tóquio, o número máximo estopulado está em 5.000 pessoas, ou 50% da capacidade do local. Esta regra ficará em vigor até pelo menos 11 de julho, mesmo com a suspensão do estado de urgência sanitária prevista para domingo.

A partir de 11 de julho, o número máximo de espectadores será de 10.000 pessoas, ou 50% da capacidade do local. A decisão final sobre a presença de público nos Jogos é esperada para a próxima semana, com um limite de 10.000 pessoas como a opção mais provável.

Com informações da AFP