PUBLICIDADE
Topo

Agência Espacial Europeia abre vaga para astronauta e mais de 22 mil se candidatam

23/06/2021 15h09

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) recebeu mais de 22 mil candidaturas para vagas de astronauta, anunciou o órgão nesta quarta-feira (23). No máximo seis pessoas serão recrutadas.

A Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) recebeu mais de 22 mil candidaturas para vagas de astronauta, anunciou o órgão nesta quarta-feira (23). No máximo seis pessoas serão recrutadas.

As candidaturas, o triplo do recebido em 2008, quando aconteceu a última campanha de recrutamento, são oriundas de 25 países. "Isto é extraordinário e certamente histórico", afirmou o diretor-geral da ESA, Josef Aschbacher. Ele vê este número de candidatos como um "símbolo" do apetite europeu pela exploração espacial.

A França aparece em primeiro lugar na lista de candidaturas, com 7.137 currículos, o que é visto como uma consequência do sucesso popular do astronauta francês Thomas Pesquet, que está no espaço atualmente. Na sequência, estão Alemanha (3.700), Reino Unido (1.979), Itália (1.860) e Espanha (1.344). Pouco menos 25% das candidaturas são de mulheres, mas elas são quatro vezes mais numerosas que na última campanha de recrutamento.

"O aumento do número de candidatas foi uma bela surpresa", disse durante a coletiva de imprensa a francesa Claudie Haigneré, primeira europeia enviada ao espaço. "Quando eu fui recrutada, em 1985, as mulheres eram apenas 10%. Em 2008 eram 15% e, agora, são cerca de 24%. É um progresso, que corresponde à proporção de mulheres que encontramos atuando como engenheiras na Europa", compara a astronauta e ex-ministra da Pesquisa.

Longo processo

Entre quatro e seis pessoas serão recrutadas. Mas o processo é longo, com seis etapas no total, e o resultado não deve ser conhecido antes de 2022.

A ESA faz agora uma primeira seleção entre os candidatos, que devem ter menos de 50 anos, mestrado em ciências, ou em engenharia e, pelo menos, três anos de experiência profissional. Cerca de 1.500 candidatos irão para a segunda fase, que inclui testes psicológicos.

Pela primeira vez, a ESA também reterá 20 candidaturas adicionais para criar um "cadastro de reserva". Além disso, uma pessoa com deficiência física será selecionada para um futuro projeto, algo inédito na história dos programas espaciais.

A agência insiste que, para essa nova geração de astronautas, quer recrutar os perfis "mais diversos possível", explicou Jules Grandsire, responsável pela comunicação da ESA. O objetivo não é necessariamente "encontrar pessoas que correspondam aos critérios de 'Os Eleitos'", disse ele, em alusão a 'The Right Stuff', filme americano da década de 1980. No entanto, Grandsire lembrou que a agência "não pratica nenhuma política de cotas".

Além de serem selecionados para as missões na Estação Especial Internacional, que orbita a 400 km de altitude, os novos astronautas também entram na lista para as futuras expedições para a Lua, das quais a ESA deve participar nos próximos 10 anos, além das missões, mais tarde, para Marte.

(Com informações da AFP)