PUBLICIDADE
Topo

Grandes organizações internacionais pedem para priorizar vacinação em países pobres

31/07/2021 16h46

Quatro das organizações mais importantes do mundo em saúde, economia e comércio lançaram um pedido conjunto neste sábado (31) aos produtores de vacinas contra o coronavírus para que priorizem a entrega de doses aos países pobres. No momento mais crítico da pandemia, em que a variante Delta, extremamente contagiosa, já se espalhou em 132 países e territórios, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as entregas de imunizantes aos países em desenvolvimento têm sofrido atrasos. 

Quatro das organizações mais importantes do mundo em saúde, economia e comércio lançaram um pedido conjunto neste sábado (31) aos produtores de vacinas contra o coronavírus para que priorizem a entrega de doses aos países pobres. No momento mais crítico da pandemia, em que a variante Delta, extremamente contagiosa, já se espalhou em 132 países e territórios, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as entregas de imunizantes aos países em desenvolvimento têm sofrido atrasos. 

Em um comunicado conjunto, os diretores da OMS, da Organização Mundial do Comércio, do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial defenderam que os países com programas de vacinação mais avançados liberem suas doses para os Estados menos afortunados.

"Reiteramos a urgência de fornecer acesso às vacinas contra a Covid-19, aos testes e aos tratamentos para os países em desenvolvimento", afirmaram. "Em relação às vacinas, uma limitação principal é a aguda e alarmante escassez na oferta de doses a países de baixa e média-baixa renda, especialmente no que resta de 2021", acrescentaram.

"Pedimos aos países com programas de vacinação avançados que liberem o quanto antes o máximo de suas doses contratadas que puderem ao Covax, à AVAT (fundo africano de aquisição de vacinas) e aos países de renda baixa e média-baixa", solicitaram. O Covax é um mecanismo liderado pela OMS para entregar vacinas aos países menos desenvolvidos.

Os líderes dessas organizações denunciaram que os contratos de entrega de vacinas às nações pobres estavam sofrendo atrasos e que menos de 5% das doses adquiridas foram entregues.

"Pedimos aos fabricantes de vacinas anticovid que redobrem seus esforços para dimensionar a produção de vacinas especificamente para esses países e que garantam que o abastecimento de doses para o Covax e países com rendas baixa e média-baixa tenham prioridade na entrega de doses de reforço", pediram.

Os quatro organismos multilaterais também pediram aos governos que reduzam ou eliminem as barreiras à exportação de vacinas e materiais exigidos para sua produção.

Monitoramento conjunto aponta disparidade entre ricos e pobres

OMS, OMC, FMI e Banco Mundial criaram uma unidade conjunta para identificar e resolver os problemas de produção de vacinas contra a Covid-19 para países em desenvolvimento. Esta equipe teve sua primeira reunião em 30 de junho.

Até agora, mais de 4 bilhões de doses de vacinas anticovid foram aplicadas no mundo, segundo uma contagem da AFP. Nos países de alta renda, de acordo com levantamento do Banco Mundial, foram aplicadas 98,2 doses a cada 100 habitantes. Por outro lado, nos 29 países com menor renda do mundo, foi aplicada apenas 1,6 dose a cada 100 pessoas.

Com informações da AFP