PUBLICIDADE
Topo

Onda de calor na Groenlândia acelera degelo da calota polar

31/07/2021 14h01

Uma onda de calor na Groenlândia, com temperaturas de mais de 10 graus acima das esperadas nesta época do ano, desencadeou um episódio de derretimento "maciço" do manto de gelo do país esta semana. A advertência foi feita por glaciologistas que observam a área.

Uma onda de calor na Groenlândia, com temperaturas de mais de 10 graus acima das esperadas nesta época do ano, desencadeou um episódio de derretimento "maciço" do manto de gelo do país esta semana. A advertência foi feita por glaciologistas que observam a área.

Desde quarta-feira (28), a calota polar que cobre o vasto território ártico derreteu cerca de 8 bilhões de toneladas por dia, o dobro da taxa média durante o período de verão, de acordo com dados do Portal Polar, uma ferramenta de modelagem administrada por institutos de pesquisa dinamarqueses.

De acordo com o instituto meteorológico dinamarquês DMI, temperaturas incomuns de mais de 20 graus Celsius foram registradas no norte da Groenlândia nos últimos dias, com recordes locais. Essa onda de calor, que também afetou grande parte do território ártico, acelerou o degelo da calota polar.

A título de comparação, o imenso volume de água derretido diariamente nos últimos dias - 8 bilhões de litros de água doce - "seria suficiente para cobrir toda a superfície da Flórida com cinco centímetros de água", diz o Polar Portal.

O recorde diário de degelo da Groenlândia, registrado no verão de 2019, não foi quebrado, mas a parte do território onde o gelo derreteu é maior do que há dois anos, notou o site de observação do Ártico.

Aumento do nível do mar e novas doenças

Segunda maior calota glacial depois da Antártica, com uma área de quase 1,8 milhão de quilômetros quadrados, a camada de gelo que cobre a Groenlândia preocupa os cientistas porque o aquecimento do Ártico é três vezes mais rápido do que no resto do mundo. Seu retrocesso, que começou há várias décadas, se acelera desde 1990 e pode provocar a liberação de vírus e bactérias mortais.

De acordo com um estudo europeu publicado em janeiro, o degelo da camada de gelo da Groenlândia contribuirá para o aumento geral do nível do mar em 10 a 18 centímetros até 2100, o que é 60% mais rápido do que a estimativa anterior. O manto polar da Groenlândia contém o suficiente para elevar os oceanos de 6 a 7 metros.

Devido a um início de verão relativamente frio com queda de neve e chuva, o recuo do manto de gelo em 2021 ainda está na média histórica, de acordo com o Portal Polar. O período de degelo vai de junho ao início de setembro.

Com informações da AFP