PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
4 meses

Primeiro voo do Afeganistão após saída dos EUA chega a Doha com 100 civis

9 set. 2021 - Avião da Qatar decola do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, para Doha, no Catar - Sayed Khodaiberdi Sadat/Anadolu Agency via Getty Images
9 set. 2021 - Avião da Qatar decola do Aeroporto Internacional Hamid Karzai, em Cabul, para Doha, no Catar Imagem: Sayed Khodaiberdi Sadat/Anadolu Agency via Getty Images

09/09/2021 17h42

Uma centena de civis, entre eles cidadãos americanos, chegaram nesta quinta-feira (9), em Doha a bordo de um avião vindo de Cabul. Este é o primeiro voo transportando estrangeiros que partiu da capital afegã, após a retirada americana do país no final de agosto.

Uma centena de civis, entre eles cidadãos americanos, chegaram nesta quinta-feira (9), em Doha a bordo de um avião vindo de Cabul. Este é o primeiro voo transportando estrangeiros que partiu da capital afegã, após a retirada americana do país no final de agosto.

"Quase 113" passageiros estavam a bordo do Boeing 777, americanos, canadenses, alemães e ucranianos, indicou uma fonte próxima à operação. Eles serão acolhidos em um centro de refugiados afegãos em Doha.

Mais cedo, outras fontes indicaram que 200 pessoas estavam a bordo do avião. Este é o primeiro voo deste tipo desde a gigantesca ponte aérea organizada pelos Estados Unidos que permitiu a evacuação de mais de 120.000 pessoas, quando os talibãs voltaram ao poder em meados de agosto.

Os passageiros desembarcaram no aeroporto internacional de Hamad. Um homem de turbante desceu na pista com uma mala na mão acompanhado de três mulheres cobertas com véus, enquanto outros passageiros desciam do avião com suas bagagens. Entre os passageiros, muitos eram crianças. Eles foram dirigidos para um ônibus do aeroporto.

"Eu não disse a minha família (que estava indo embora) mas eu deixei uma carta esta manhã (...) 'Eu amo vocês, sejam fortes e positivos'", disse Leena Azizi, uma canadense de origem afegã de 45 anos. "Não é só pela minha família que sinto muito, mas por muitas pessoas. Nós temos que manter a esperança", completou.

"Minha família ficou lá", explicou Kiramuddin Nazary, um oficial da segurança aérea. "Meu trabalho era muito, muito perigoso. Agora eu preciso da ajuda de todos vocês para ajudar minha família a fugir".

Peça-chave

Durante uma visita ao Paquistão, o ministro de Assuntos exteriores do Qatar, Mohammed bem Abderrahmane Al-Thani, agradeceu aos talibãs por terem autorizado o voo.

"Nós conseguimos [garantir] o primeiro voo com passageiros (...) agradecemos os talibãs pela cooperação", declarou. "Isso era, na verdade, o que esperávamos dos talibãs: ver declarações positivas transformadas em ação", continuou. "Eu acho que é uma mensagem positiva".

Mais cedo, o enviado especial do Qatar no Afeganistão Mutlaq al Qahtani comemorou "um dia histórico para o aeroporto de Cabul", afirmando que os voos internacionais retomariam "progressivamente" a partir da capital afegã.

O chefe da diplomacia britânica Dominic Raab também agradeceu em um comunicado o Qatar "por ter facilitado um voo transportando 13 cidadãos britânicos vindo de Cabul".

"O Qatar desenvolveu um papel de intermediário central entre os talibãs e a comunidade internacional estes últimos anos", completou. O país se transformou em uma peça-chave na crise afegã, acolhendo as negociações entre Estados Unidos, de Donald Trump, e talibãs, concluídas em 2020, e posteriormente entre os dois e a oposição afegã do presidente deposto Ashraf Ghani.

Doha e a Turquia, sua aliada, se comprometeram recentemente a reformar as infraestruturas aeroportuárias de Cabul para uma reabertura progressiva. Uma tarefa complexa, porque o aeroporto sofreu com as evacuações caóticas do fim de agosto.

(Com informações da AFP)

Internacional