PUBLICIDADE
Topo

Colin Powell, ex-secretário de Estado americano, morre de Covid-19

18/10/2021 12h02

O ex-secretário de Estado americano, Colin Powel, que exerceu o cargo durante o mandato do presidente republicano George W. Bush, morreu aos 84 anos, vítima de "complicações da Covid-19". O anúncio foi feito nesta segunda-feira (18) pela sua família, em um comunicado. 

O ex-secretário de Estado americano, Colin Powel, que exerceu o cargo durante o mandato do presidente republicano George W. Bush, morreu aos 84 anos, vítima de "complicações da Covid-19". O anúncio foi feito nesta segunda-feira (18) pela sua família, em um comunicado. 

"Nós perdemos um notável e amoroso marido, pai, avô e um grande americano", diz o texto. Powell foi o primeiro afro-americano a ocupar o posto de comandante do Estado-Maior Conjunto, antes de se tornar o chefe da diplomacia americana.

O ex-secretário de Estado faleceu no hospital Walter Reed, na região de Washington, onde os presidentes dos Estados Unidos geralmente recebem atendimento. 

O ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush, que teve Colin Powell como secretário de Estado, prestou homenagem ao diplomata e herói de guerra, "um grande homem", que serviu a vários governos. "Foi um grande servidor público desde que começou como soldado no Vietnã", afirmou Bush em um comunicado, no qual destaca que Powell foi "muito respeitado no país e no exterior".

O atual secretário de Defesa americano, Llyod Austin, também homenageou "um dos maiores líderes que já vimos", ao falar sobre Colin Powell, primeiro afro-americano a ocupar o posto de secretário de Estado do país. "O mundo perdeu um de seus maiores homens. Perdi um grande amigo e um mentor", afirmou Austin durante uma viagem a Tbilisi, capital da Geórgia.

Invasão do Iraque

Defensor da guerra do Iraque, Powell fez um longo discurso em 5 de fevereiro de 2003 no Conselho de Segurança da ONU sobre as armas de destruição em massa que o regime de Bagdá supostamente possuía. Seus argumentos serviram de base para justificar a invasão do país algumas semanas depois.

Anos mais tarde, ele admitiu que o caso era uma "mancha" em sua reputação. "É uma mancha... e sempre fará parte do meu histórico. Foi doloroso. É doloroso agora", disse Powell em uma entrevista ao canal ABC News em 2005. Nascido em 5 de abril de 1937 no Harlem, ele cresceu em Nova York e se formou em Geologia.

Ele também participou do Corpo de Treinamento de Oficiais da Reserva na faculdade e, ao se formar, em junho de 1958, recebeu a patente de segundo-tenente do exército dos Estados Unidos e foi enviado para a então Alemanha Ocidental.

Powell cumpriu duas missões no Vietnã - em 1962-63 como um dos milhares de conselheiros militares de John F. Kennedy, e novamente em 1968-69 para investigar o massacre de My Lai.

Apoio a Barack Obama

Colin Powell sempre integrou a ala moderada do partido Republicano, e não hesitou a se distanciar de seu partido, apoiando por exemplo, em 2008, a candidatura do então candidato democrata Barack Obama, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

(Com informações da AFP)