PUBLICIDADE
Topo

Candidato de extrema direita é condenado na França por incitação ao ódio

17/01/2022 13h21

O candidato de extrema direita às eleições presidenciais francesas, Éric Zemmour, foi condenado nesta segunda-feira (17) a uma multa de 10 mil euros por incitar o ódio contra migrantes. O candidato acusou o julgamento de ter sido político e vai recorrer da decisão.

O candidato de extrema direita às eleições presidenciais francesas, Éric Zemmour, foi condenado nesta segunda-feira (17) a uma multa de 10 mil euros por incitar o ódio contra migrantes. O candidato acusou o julgamento de ter sido político e vai recorrer da decisão.

O caso ocorreu em 2020 quando, durante um programa da emissora Cnews, Éric Zemmour criticou a entrada de menores migrantes desacompanhados, a quem descreveu como "ladrões", "assassinos" e "estupradores". O fluxo migratório foi definido pelo, então colunista, como "uma invasão permanente".

As falas foram consideradas pela Justiça francesa como incitação ao ódio contra esta população, crime punido com uma multa de 10 mil euros (R$ 63 mil).

Esta não é a primeira vez que o polemista é condenado por seu discurso. Na próxima quinta-feira (20), ele será julgado por declarações feitas em outro programa da Cnews. Em outubro de 2019, o agora candidato afirmou na televisão que o Marechal Pétain, chefe de Estado francês que colaborou com a Alemanha nazista, "salvou" judeus franceses.

A promotoria de Paris pede a punição também com uma multa no valor de 10 mil euros.

Após o anúncio da decisão desta segunda-feira, Zemmour denunciou o que considera uma "condenação ilógica e estúpida". "É justiça política. Estou sendo julgado politicamente", afirmou o candidato, que não compareceu ao tribunal e vai recorrer da decisão.

A três meses das eleições

O candidato de extrema direita tem criticado reiteradamente a realização dos julgamentos contra suas falas durante o período de campanha eleitoral. As eleições presidenciais acontecem na França em abril.

Em declaração anterior, Zemmour chegou a dizer que a Justiça francesa "corre para satisfazer [os] caprichos" de "uma dúzia de associações antirracistas e cerca de 20 conselhos departamentais, principalmente de esquerda, [que] apresentaram uma ação civil antes do primeiro turno das eleições presidenciais".

No entanto, o ex-comentador de tevê não modera suas falas e nem evita controvérsias. Em seu vídeo de candidatura oficial, o francês usou imagens de filmes e músicas sem autorização, razão para um outro processo movido por empresas e artistas.

De acordo com as últimas pesquisas eleitorais, Zemmour aparece em quarto na preferência dos franceses, com entre 12% e 14% dos votos. O presidente Emmanuel Macron (LREM) está na frente, com cerca de 25% das intenções de voto, seguido por um empate entre duas candidatas, a representante da direita Valérie Pécresse (LR) e a de extrema direita Marine Le Pen (RN).

(Com informações da AFP)