PUBLICIDADE
Topo

"Eu tenho que aprender a ser mais humilde", diz Beatriz Haddad, após derrota em Roland-Garros

25/05/2022 14h14

Depois de vencer na sua partida de estreia em Roland-Garros, a brasileira Beatriz Haddad Maia foi derrotada na tarde desta quarta-feira (25), na segunda rodada do torneiro de simples do Grand Slam de Paris. Bia perdeu por 2 sets a 0 (parciais de 6/4 e 6/4) para a Kaia Kanepi, tenista número 46 do mundo.

Depois de vencer na sua partida de estreia em Roland-Garros, a brasileira Beatriz Haddad Maia foi derrotada na tarde desta quarta-feira (25), na segunda rodada do torneiro de simples do Grand Slam de Paris. Bia perdeu por 2 sets a 0 (parciais de 6/4 e 6/4) para a Kaia Kanepi, tenista número 46 do mundo.

Com uma torcida animada, que lhe apoiou durante todo a partida que durou 1h30min, a paulistana, atual número 49 do ranking da WTA, não suportou o jogo duro da estoniana Kaia Kanepi, que já esteve entre as 20 melhores do mundo e estreou em Roland-Garros com vitória sobre a espanhola Garbiñe Muguruza, campeã de Roland Garros em 2016. 

Entre o grupo de brasileiros que acompanhavam o jogo estavam os irmãos Francisco Augusto, 12, e Maria Clara, 14. Ambos jogam tênis desde os 6 anos e vieram de Porto Alegre para torcer para a brasileira. "Ela perde bastante, mas está sempre muito determinada", disse Francisco em entrevista à RFI Brasil.

"A gente tem muito orgulho da Bia. Infelizmente no Brasil hoje a gente não tem muitos nomes, especialmente no tênis feminino e ter a Bia disputando entre as 50 melhores do mundo e melhorando a cada dia, muitas vezes vencendo das top 10 ou 5, é um orgulho enorme para a gente", disse a tenista Adriana Schulz, do Esporte Clube Sírio, o mesmo onde Beatriz começou a carreira.

No segundo set, a torcida gritava "vamos quebrar", incentivando Bia a "quebrar o serviço da adversária" e apoiando a tenista a não se entrgar com gritos de  "não acabou ainda". Mas Beatriz errou saques e devoluções em momentos importantes, não conseguindo uma virada. 

Ela tentou forçar o serviço, com saques que muitas vezes passavam dos 170 km por hora, mas errou em momentos determinantes, deixando Kaia avançar no segundo set e também bvencido com o mesmo placar do primeiro, 6/4. Na terceira rodada, a estoniana terá pela frente a americana Coco Gauff, de 18 anos.

"Hoje foi um jogo duro, eu sabia que ela era uma jogadora perigosa e experiente. Eu tentei ser mais sólida e agressiva para criar mais oportunidades no jogo. Eu consegui nos primeiros dois games e o desenrolar do set poderia ter sido outro se eu tivesse aproveitado as oportunidades, mas eu não fui agressiva o suficiente e não fui sólida, e com essas jogadoras que são experientes e agressiva se você não faz sua parte é muito complicado", afirmou Beatriz Haddad em entrevista à RFI Brasil.

"Mentalmente, eu não consegui competir e ser humilde nos momentos difíceis. Em momentos importantes do jogo, ou ela foi mais sólida ou subiu o nível, e eu joguei pior ou fiz escolhas ruins e isso definiu o jogo", acrescentou a atleta brasileira.

"Eu acredito que eu tinha consciência do que estava acontecendo na quadra, mas faltou um pouco de coragem para executar e faltou um pouco de humildade para aceitar que eu não estava conseguindo, que estava ventando, que ela estava jogando melhor. Naquele momento, eu precisava acionar um plano B ou ter mais força mental, mas não consegui ser humilde para fazer acontecer. Essa é a diferença dos jogadores grandes, que não estando bem, eles conseguem fazer dar certo", completou.

Bia continua no torneio de duplas

Com a derrota de Beatriz Haddad, o tênis brasileiro não tem mais representantes nas chaves de simples de Roland Garros. Mas isso não desanima a torcida brasileira em Paris. "Eu achei que ela jogou bem, apesar de que a outra estava muito consistente e não deu para a Bia dessa vez. Mas ela está crescendo e vai pegar confiança", disse Fernanda Malena, artista plástica de São Paulo. "Ela fez o que pôde, mas a outra soube administrar melhor", completou.

Eliminada no torneio de simples, Beatriz Haddad segue no torneio de duplas de Roland-Garros. Ela jogará com Anna Danilina, do Cazaquistão, no feminino. Juntas, elas foram vice-campeãs do aberto da Austrália, este ano.

"Com a Anna, a gente teve oportunidades nos últimos torneios, tivemos um início de ano muito bom, mas depois a gente caiu muito nos momentos importantes, a gente tem claro o que precisa melhorar e vai seguir trabalhando duro para aproveitar as oportunidades", disse Beatriz Haddad sobre os próximos desafios.

A jogadora ainda estará ao lado do conterrâneo Bruno Soares no torneio de duplas mistas. "Com o Bruno é algo novo, nunca joguei uma dupla mista, ele é muito experiente e eu vou aprender muito e melhorar o que não consegui no torneio de simples", conclui Bia Haddad.   

Mais cedo, em sua estreia na chave masculina de duplas, o mineiro Bruno Soares e o escocês Jamie Murray avançaram para a segunda rodada do torneio de Roland-Garros. Eles derrotaram a dupla formada pelo israelense Jonathan Erlich e pelo sul-africano Lloyd Harris, por 2 sets a 0 - com parciais de 6/1 e 6/2, em 1 hora e 1 minuto de partida.