Festival criado por pianista brasileira leva música erudita à zona rural francesa

Os festivais culturais, seja de música, teatro ou dança, são uma tradição no verão francês, que acontece do final de junho a setembro, época de férias escolares no país. Entre esses eventos está o Festival de Piano e Música de Câmara Charolais-Brionnais, que desde 2005 apresenta o repertório clássico em edifícios do patrimônio histórico da região rural da Borgonha do Sul, que fica no centro-leste da França.

O evento é dirigido artisticamente pela pianista brasileira Juliana Steinbach e promovido pela Association Musique et Patrimoines en Charolais-Brionnais (Associação Música e Patrimônio). A edição 2024 acontece de 27 de julho a 4 de agosto.

O festival, criado por Steinbach, veio preencher um vazio. "Não havia na região da Borgonha do Sul um festival (de música)", lembra o francês Didier Voïta, presidente da associação.

A ideia é valorizar tanto o patrimônio musical quanto o arquitetônico da região. "Valorizar esse patrimônio lindo, com uma acústica muito boa; levar a música para o público e trazer gente para conhecer melhor esse patrimônio do período da Abadia de Cluny", conta o presidente.

Os concertos acontecem principalmente em igrejas de várias cidades da Borgonha do sul, mas também em prédios do patrimônio industrial.

Didier ressaltou a diversidade musical proposta. "O repertório abrange desde a música barroca de Johann Sebastian Bach até composições contemporâneas. Nosso objetivo é oferecer uma experiência musical completa e diversificada."

Destaques da edição 2024

A brasileira Jane Lessa, que também integra a associação, ressalta os principais destaques desta edição 2024. "Teremos músicos brasileiros participando graças a uma parceria com a Universidade de São Paulo, que envia anualmente jovens talentos para o festival. Este ano, o trio francês Talweg estará presente, além de outros nomes internacionais. Estamos aguardando a confirmação da pianista portuguesa Maria João Pires", explicou.

Inclusão cultural na região rural

Uma das missões do festival é levar música de alta qualidade às regiões rurais, onde as ofertas culturais são escassas. "Em 2020, por exemplo, tivemos a pianista argentina Martha Argerich, muito ligada ao Brasil, que passou três dias conosco. Foi uma oportunidade única para o público local, que muitas vezes não tem acesso a grandes salas de concerto internacionais", destacou Jane.

Continua após a publicidade

Outra preocupação é a promoção de jovens artistas. O evento abre espaço e dá a oportunidade a iniciantes de se apresentar e lançar suas carreiras. "Temos conseguido, ao longo desses anos, impulsionar a carreira de muitos jovens músicos, tanto no cenário nacional quanto internacional", afirmou Didier.

Impacto dos Jogos Olímpicos e mudanças políticas

O Festival de Piano e Música de Câmara Charolais-Brionnais começa no dia seguinte da abertura dos Jogos Olímpicos de Paris. Sobre a coincidência de datas, o presidente da associação não acredita que haverá impacto negativo no público do festival. Ele avalia que os dois eventos atraem diferentes perfis de espectadores.

Quanto às recentes mudanças políticas na França, Jane Lessa manifestou preocupação quanto ao futuro do financiamento público, essencial para a realização do festival. "Para este ano, todos os apoios já foram confirmados, mas para os próximos anos, ainda há incertezas. Esperamos que o polo cultural francês continue forte e ativo", concluiu.

Deixe seu comentário

Só para assinantes