UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

24/05/2004 - 15h33
Olimpíadas de Atenas abrem janela de esperança para atletas afegãos

Por Sardar Ahmad = (FOTOS) = CABUL, 24 mai (AFP) - Eles não esperam voltar para casa cobertos de medalhas de ouro, mas sem dúvida Atenas simboliza para a pequena equipe olímpica de 11 membros do Afeganistão a esperança de dar algum motivo de alegria para o espírito abatido de sua nação.

Banidos dos Jogos em 1999, em parte devido ao tratamento do regime Talibã às mulheres, o Afeganistão retorna ao maior evento esportivo do mundo justamente pelas mãos de uma jovem, que carregará a bandeira do seu país na cerimônia de abertura.

A estudante Robina Muqimyar, 17 anos, será a primeira mulher afegã a competir nas Olimpíadas. Esta adolescente de Cabul lembra que foi perseguida pelos talibãs por não usar a burca. Também faz parte da equipe Friba Rezihi, 17 anos, que vai competir no judô. "Eu estou muito feliz de participar desta competição", afirma Robina enquanto compra uma roupa para usar na abertura dos jogos em uma loja em Cabul.

"Há dois anos e meio, ser uma corredora era apenas um sonho para mim", disse. "Agora eu vejo meus sonhos virarem realidade", acrescenta.

A jovem de 1,70 m, olhos negros, prepara-se para competir nos 100 metros há nove meses. Entretanto, com uma marca pessoal de 15,06 segundos, será muito difícil conseguir vencer velocistas como a campeã americana Marion Jones, que faz o percurso em 11 segundos. "Eu sei que vai ser difícil, mas tenho esperança", disse.

A corrida significa mais para Robina em termos de chance de sucesso pessoal do que como "marco" para as mulheres que vivem no Afeganistão, anteriormente impedidas de praticar esportes e ter acesso à educação.

Treinando no Estádio de Cabul, seriamente danificado, com banheiros fora de uso e outros problemas, Robina veste um véu modesto e uma roupa de ginástica que deve usar na competição em Atenas.

"Isso é muito especial", e uma vitória para o povo afegão, principalmente para as mulheres", disse o representante do Ministério das Relações Exteriores grego, Livaditou Zoi.

Os cinco atletas na equipe, Robina e Friba, mais Bashir Ahmad Rahmati, com 20 anos, na luta livre, o boxer Bashirmal Sultani, de 19, e o corredor Massoud Azizi, também de 19, foram para a Grécia na sexta-feira, para fazer um treinamento intensivo durante dois meses.

Quatro técnicos e dois representantes do Comitê Olímpico Afegão acompanham a equipe, que recebeu "wildcard" do Comitê Olímpico Internacional.

"É uma grande oportunidade para nós", diz Sultani. "Minha única expectativa de vitória nesta competição vem do fato de eu ter treinado durante dois meses com técnicos gregos", explica.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA