UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

17/05/2005 - 16h48
Ator Breno Mello vai a Cannes 46 anos depois da consagração de "Orfeu Negro"

Por Jean-François Guyot CANNES, França, 17 Mai (AFP) - O ator brasileiro Breno Mello está em Cannes 46 anos depois da Palma de Ouro para "Orfeu Negro", obra-prima do francês Marcel Camus, por conta do lançamento de um documentário sobre este clássico do cinema. O documentário foi produzido pela TV Arte e será apresentado fora da competição, na mostra paralela "Cannes Cinéfilos".

Breno Mello, um modesto aposentado de 74 anos, foi localizado por Jean Philippe, conselheiro do documentário "Em busca do Orfeu Negro", em Porto Alegre, onde vive numa "casa de pobre".

Em 1959, Breno Mello não pôde ir a Cannes, apesar do convite do diretor.

"Nunca soube por que não fiz a viagem, se era um problema de visto, de meios financeiros ou qualquer outra coisa. Disseram-me para ficar preparado para ir à França, mas depois não aconteceu nada", disse ele à AFP, tímido como um colegial e saboreando a cada segundo a "felicidade imensa que sente" de estar agora no festival mais importante do mundo.

Esta é a primeira vez que Mello visita a Europa e a França, país que o eternizou. "Fiquei frustrado quando não pude vir à Europa da outra vez, mas agora estou feliz", acrescentou.

"Marcel Camus me ensinou a atuar. Ele era muito gentil e a filmagem foi maravilhosa. Era muito paciente", recorda Breno Mello, encontrado numa rua do Rio de Janeiro em 1956.

Na época, o diretor francês pediu que seus conhecidos no Brasil o ajudassem a encontrar o seu "Orfeu" negro.

"Eu estava passeando e um senhor me perguntou se eu queria fazer cinema. Disse que sim", explicou Mello, na época jogador de futebol do Santos, o mesmo time em que Pelé jogou.

Camus aprovou Breno assim que o conheceu. Ele ficou fascinado com sua beleza, um aspecto essencial para o filme que queria fazer.

O Grande Prêmio no Festival de Cinema de Cannes impulsionou na época a carreira de Breno Mello, que fez mais oito filmes.

"O cinema brasileiro não tinha financiamento na época. Não podia me sustentar com o cinema e, por isso, retornei ao futebol, antes de começar a vender folhetos publicitários em Porto Alegre", destacou Mello.

Depois de meses de investigação, a equipe de "Em busca do Orfeu Negro", dirigido por René Letzgus e Bernard Tournois, conseguiu localizar Breno Mello, que muitos davam como morto.

O governo brasileiro aceitou financiar sua viagem e Mello está realizando um sonho: conhecer a França.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA