UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

14/06/2005 - 17h34
Brasil deve assumir que é favorito para a Copa de 2006, diz Parreira

=(FOTOS)=BERGISCH-GLADBACH, Alemanha, 14 jun (AFP) - Não basta para a seleção brasileira de futebol assumir que é favorita para a Copa do Mundo de 2006. Tem também que jogar como favorita, sustentou nesta terça-feira o treinador da seleção pentacampeã mundial, Carlos Alberto Parreira.

"Depois de muitos anos, o Brasil chegará a uma Copa do Mundo, a de 2006, na condição de favorito. Eu penso que se deve dizer: Somos os favoritos, sim. Vamos ganhar, sim'", garantiu o técnico brasileiro.

Parreira reagiu assim a um comentário formulado por Pelé, segundo o qual a final da Copa do Mundo de 2006 será novamente entre Brasil e Alemanha, como no Mundial da Coréia do Sul e do Japão.

"Eu me lembro que a seleção de 1970 era muito criticada. Mudaram de treinador pouco antes (Mário Zagallo substituiu João Saldanha), e, no entanto, todos nós sabemos o que ocorreu", disse Parreira, que era preparador físico daquele lendário selecionado.

"Aconteceu o mesmo em 1994, ninguém acreditava na seleção e fomos campeões mundiais. Repetiu-se em 2002, quando a seleção estava no descrédito total até o último jogo das eliminatórias. E foi, sem dúvida, a melhor seleção do mundial", disse.

Com Parreira como treinador, o Brasil só se classificou para a Copa do Mundo de 1994 na última partida das eliminatórias sul-americanas, vencendo por 2-0 o forte time do Uruguai no estádio do Maracanã, com dois gols de Romário.

Na Copa de 2002, sob o comando de Luiz Felipe Scolari, o Brasil conseguiu sua classificação no último jogo eliminatório, com uma vitória sobre a frágil seleção da Venezuela.

Nos dois casos, o Brasil acabou trazendo para casa o troféu de campeão do mundo. Em compensação nas copas de 1974 e 1998, Brasil, era franco favorito e voltou com as mãos vazias.

Por isso, para treinador brasileiro, a seleção brasileira "tem que mudar isso, tem que romper esse tabu. Deve chegar a uma copa do mundo como favorita e ganhá-la".

No entanto, reconheceu que "ser favorito não é tudo. É necessário também jogar como favorito, em campo, mostrando que possui personalidade para isso".

Parreira acrescentou, com um gesto de resignação, que esse é o destino da seleção brasileira. "É sempre assim. Quando a seleção não ganha um campeonato é um desastre, mas quando sai campeã apenas é o que se espera dela. E temos que atuar em campo como se espera que joguemos", concluiu Parreira.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA