UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

08/05/2007 - 10h57
Hernande sonha com grandes clubes e tenta apagar passado

  Meu objetivo pessoal é me destacar no campeonato da segunda divisão do Rio pelo Silva Jardim e depois retornar a um clube de grande porte. Vou tentar recuperar pelo menos um pouco do tempo perdido.
Hernande, 33 anos, meia revelado pelo Vasco.
Hernande Gomes Flores
11/02/1974
Alegrete - RS

Times
- Vasco: 1992 - 1994
- Coritiba: 1995
- Botafogo-RJ: 2001 - 2002
- Teresópolis: 2002 - 2004
- Volta Redonda-RJ: 2006
- Silva Jardim-RJ: 2007

Títulos
- Tricampeão do Estadual do Rio de Janeiro - 1992, 1993 e 1994 - Vasco
- Campeão Mundial de Juniores - 1993 - seleção brasileira



Marcelo Ferreira, especial para o Pele.Net

RIO DE JANEIRO - Hernande surgiu como uma grande promessa das divisões de base do Vasco no início da década de 90. Contudo, a ascensão de sua carreira foi interrompida por um trágico acidente em 1994, que resultou na prisão do jogador por três anos. Aos 33, o meia atua na segunda divisão do Rio de Janeiro e ainda tem planos de reaparecer no futuro.

O BOM FILHO...
Depois de muitos anos longe de São Januário, Hernande retornou ao clube que o revelou no último dia 1º de maio, quando sua equipe, o Silva Jardim-RJ, realizou um jogo-treino contra o Vasco. O duelo terminou empatado por 0 a 0, mas para Hernande o resultado ficou em segundo plano.

"Foi ótimo voltar a São Januário, já que eu não pisava lá havia muito tempo. Senti a mesma emoção de garoto, quando era infantil ainda. Quando cheguei, parecia que era a primeira vez que eu estava entrando no clube. Reencontrei funcionários antigos e amigos que fiz durante a minha passagem, que considero vitoriosa", disse Hernande.
Ao lado de Gian, Yan e Valdir, Hernande foi um dos destaques das vitoriosas campanhas do Vasco no tricampeonato estadual de 1992, 1993 e 1994. Convocado constantemente para a seleção brasileira de juniores, o meia foi campeão mundial da categoria em 1993, na Austrália.

Rápido e habilidoso, o canhoto Hernande era tratado com muito carinho por todos no clube de São Januário. Até que o acidente mudou sua história.

"O acidente me atrasou muito no futebol. Eu estava começando a me firmar entre os titulares do Vasco quando isto aconteceu e acabou prejudicando muito a minha carreira. O Vasco cuidou do caso na época e nenhuma orientação me foi dada a respeito. Na cadeia eu refleti muito sobre a minha vida, mas me apeguei a Deus para superar todas as dificuldades", afirmou Hernande, que confessou que chegou a pensar em uma aposentadoria precoce. "Parei e pensei sobre o que aconteceu e o que poderia vir a acontecer, e achei que nunca mais conseguiria jogar", disse.

Na época, Hernande causou um acidente de carro em um bairro da Zona Norte do Rio, atropelando três pessoas. Por falta de orientação, o atleta foi condenado a seis anos de cadeia, cumprindo três destes em regime integral e permanecendo depois em semi-aberto até o fim de sua pena. Mesmo preso, Hernande recebeu a solidariedade de antigos companheiros de Vasco.

"Quando eu estava preso, o Gian e o Yan sempre me visitavam e me deram muito apoio quando mais precisei. Até hoje eles me ligam e nos falamos com freqüência. Morávamos juntos na época de Vasco e por isso nos apegamos muito. Sem dúvida alguma eles foram fundamentais na minha volta por cima. Não posso esquecer também dos meus ex-companheiros Alex e Valdir, que também me visitavam", relembrou Hernande.

MOTIVOS DE ORGULHO
Após superar adversidades ao longo da vida, Hernande hoje se orgulha de estar novamente atuando profissionalmente e por ter construído uma família para lhe apoiar nos momentos mais difíceis. Além disso, ele revelou seus planos para o futuro.

"Estou casado há 14 anos e tenho um casal de filhos: o Hernande Júnior, 12 anos, e a Pámela, de dez anos. O meu filho é torcedor fanático do Vasco, mas infelizmente ainda não pude levá-lo a um jogo. Além disso, ele é goleiro das categorias de base do Rio Bonito-RJ. Espero ser treinador no futuro, pois minha vida é o futebol e não quero fugir disso", afirmou Hernande.
Após sair da prisão, Hernande recebeu uma chance de ouro para tentar retomar a carreira. Em 2001, o jogador foi contratado pelo Botafogo para a disputa do Campeonato Brasileiro. No entanto, ele teve que conviver com as adversidades do seu passado. O meia podia treinar e jogar pelo clube, mas tinha que retornar à prisão para dormir e só tinha condições de viajar para fora do Rio mediante autorização da Justiça.

"Tive poucas chances no Botafogo, mas lá muitas portas foram abertas para mim. Agradeço muito a todos que me ajudaram quando estive jogando lá, já que foi o meu primeiro clube depois da minha saída da prisão", afirmou Hernande.

Depois de sua passagem pelo time alvinegro carioca, Hernande passou quatro anos atuando pelo Teresópolis Futebol Clube e teve uma passagem rápida pelo Volta Redonda até chegar ao Silva Jardim, da segunda divisão do futebol do Rio. Destaque da sua equipe desde o ano passado, o jogador confessou que ainda sonha em brilhar novamente por um grande clube.

"Meu objetivo pessoal é me destacar no campeonato da segunda divisão do Rio pelo Silva Jardim e depois retornar a um clube de grande porte. Tenho isso como um objetivo e um grande sonho, que é fazer aquilo que fui impedido. Vou tentar recuperar pelo menos um pouco do tempo perdido", concluiu Hernande.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA