UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

20/09/2007 - 10h09
Romance relata vinda de refugiados judeus ao Brasil e traz fotos de festas nazistas no país

Da Redação
Em São Paulo

"A Travessia da Terra Vermelha -Uma Saga dos Refugiados Judeus no Brasil", romance histórico de Lucius de Mello, relata a vida dos refugiados judeus nas décadas de 30 e 40 que encontraram abrigo no norte do Paraná. Para escrever o romance o autor entrevistou descendentes diretos dos pioneiros, no Brasil e na Alemanha.

"Ao vasculhar as memórias desses refugiados fui tocado por um passado vivo que nos remete ao Holocausto enquanto fenômeno político e crime
contra a Humanidade", disse o autor, que é escritor, jornalista e pesquisador da USP.

Divulgação
Poeta nazista Maria Kahle fala em púlpito decorado por suástica durante festa pelo aniversário de Hitler, em abril de 1934
MAIS FOTOS DO LIVRO
QUEM FOI HITLER?
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
"A Travessia" conta a saga de cerca de 80 famílias alemãs, judias e cristãs, que fundaram a cidade de Rolândia, próximo a Londrina. Naquela época, a região era uma verdadeira selva. Fugindo da perseguição nazista, os refugiados judeus atravessaram o Atlântico, tomaram o trem e, por ironia, viraram vizinhos de alemães nazistas em pleno interior do Brasil.

Sem saber, os refugiados judeus se refugiaram numa colônia alemã parcialmente nazista. O livro publica, em primeira mão, fotos das festas hitleristas realizadas em Rolândia na década de 30. O autor também revela um cartaz usado em campanha anti-semita no interior do Paraná. A intenção do ditador alemão Adolf Hitler era transformar Rolândia numa colônia nazista modelo na América do Sul.

O livro traz fotos das festas que os nazistas realizavam para celebrar o aniversário de Hitler, com o contraste dos símbolos nazistas tremulando próximo a árvores típicas da região, como caviúnas, perobas rosas e figueiras brancas.

Entre os refugiados judeus, estavam médicos, físicos, botânicos, artistas, advogados, juristas, professores universitários que foram obrigados a deixar a vida confortável que tinham na Alemanha para trabalhar na roça no Brasil.

Eles foram ajudados pelo ex-deputado do partido católico alemão Otto Prustel. Pouco antes de Hitler começar a perseguição aos judeus, eles conseguiram salvar parte do dinheiro que tinham e comprar terras no Brasil. Prustel criou a chamada "operação triangular": os judeus alemães compravam peças (trilhos, parafusos, locomotivas, vagões,etc), das fábricas alemãs, em nome da companhia inglesa Paraná Plantation, responsável pela construção da ferrovia São Paulo-Paraná aqui no Brasil. Em troca, recebiam dos ingleses títulos das terras que viriam ocupar no Paraná.

Histórias
Entre as histórias curiosas relatadas pelo romance, estão a da soprano que dava recitais líricos na fazenda e cantava para amenizar a saudade dos amigos, dos parentes e do primeiro amor, um pianista, que morreu lutando na Primeira Guerra Mundial. Ela dava aulas de piano e canto para as crianças da colônia e cantava uma ária da ópera "Madame Butterfly", de Puccini, porque acreditava que a música estimulava Berenice, a vaca leiteira, a produzir mais.

A TRAVESSIA DA TERRA VERMELHA
De: Lucius de Mello
Editora: Novo Século
Tel: (11) 3699-7107
Site: www.novoseculo.com.br
420 págs
Preço: R$ 45
O livro conta as dificuldades dos refugiados no meio do mato, as doenças, os insetos, os bichos, o preconceito, a falta de socorro médico, a saudade de quem não conseguiu fugir e morreu nos campos de concentração.

Eles acompanhavam as notícias da guerra por um único rádio, que a polícia política só permitiu que ficasse na colônia porque pertencia a um imigrante polonês.

Havia uma família judia que se correspondia com o pintor Candido Portinari e que ganhou do artista quatro óleos sobre tela. O livro publica cartas e cartões trocados entre o pintor e os amigos judeus de Rolândia.

Outra história emocionante é a da física judia que era prima e se correspondia com o físico Rudolf Ladenburg, da equipe de Albert Einstein, em Princeton, Estados Unidos. O livro publica duas cartas que Ladenburg escreveu à refugiada. Ela também dava aulas de ciência aos filhos dos cablocos da fazenda e em troca aprendia português com eles.

Integradas à nova paisagem, algumas famílias faziam questão de celebrar os ritos religiosos judeus, mesmo que timidamente. Como não havia sinagoga na colônia, convidavam rabinos de São Paulo para celebrar festividades e até um casamento.

Para aprender a falar português, os refugiados se debruçaram sobre os livros de Fernando Pessoa e Machado de Assis. Eles conseguiram trazer, de trem, grande parte das bibliotecas que tinham na Alemanha.

Pesquisa
O romance é resultado de quatro anos de pesquisa, nos quais Mello recolheu diários, anotações, fotografias, cartas, documentos e gravou dezenas de entrevistas.

Parte do material ilustra o romance, que é apresentado pela professora doutora em História da Universidade de São Paulo Maria Luíza Tucci Carneiro, pesquisadora do LEER (Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação), ligado ao Departamento de História da USP.

Na apresentação, ela diz: "Com artimanhas de escritor experiente, mescla ficção e realidade recuperando o cheiro da terra, o aroma dos chás prussianos requentados em terras brasileiras, as mágoas e as paixões secretas até então silenciadas. É na trama destes interesses velados que os preconceitos ganham forma e a coletividade deixa saber exatamente quem ela é."

A investigação histórica foi feita com base em duas teses acadêmicas sobre o tema: "Brasil, Refúgio nos Trópicos", da própria Maria Luíza, e "Rolândia, A Terra Prometida", de Ethel Kosminsky, doutora em Sociologia pela USP.


Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA