UOL Notícias Notícias
 

02/04/2008 - 20h30

Outro lado: Sindicato questiona atitude do movimento contra propaganda de cerveja

O Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv) alega que as 600 mil assinaturas que as entidades de saúde entregaram nesta quarta-feira ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia não são em apoio ao Projeto de Lei 2733/08, que amplia a restrição de propaganda para bebidas de teor alcoólico entre 0,5 e 13 graus na escala Gay-Lussac, como cervejas, vinhos, espumantes e os chamados ices.

Representantes de organizações sociais da área de saúde entregaram hoje ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, um abaixo-assinado com cerca de 600 mil adesões pedindo a aprovação do Projeto de Lei 2733/08. A proposta amplia a restrição de propaganda para bebidas de teor alcoólico entre 0,5 e 13 graus na escala Gay-Lussac, como cervejas, vinhos, espumantes e os chamados ices. Leia mais
CONTRA BEBIDAS NA TV
"As assinaturas estão sendo recolhidas desde 2003 quando foi criado o Movimento Propaganda Sem Bebida. Esta ONG tem, na verdade, uma atitude oportunista ao aproveitar um trabalho já bem antigo e ligá-lo a um fato novo", afirmou o sindicato em carta. O fato novo, segundo o Sindicerv, é o pedido de urgência constitucional imposto pelo Executivo ao projeto de lei.

O Sindicato diz ainda que o Movimento critica o álcool, mas só propôs restrições às cervejas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,08
    3,759
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h23

    -0,09
    96.009,77
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host