UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA



 Internacional

03/05/2005 - 19h34
Rendição alemã na II Guerra foi assinada em 7, 8 e 9 de maio de 1945

=(FOTOS)= BERLIM, 3 maio (AFP) - Para a história, o 8 de maio de 1945 é a data oficial da capitulação da Alemanha nazista ao final da Segunda Guerra Mundial, mas o primeiro ato aconteceu, na verdade, um dia antes, em Reims (França), enquanto que o definitivo foi concluído na noite de 8 para 9 de maio em Berlim.

O primeiro documento de rendição foi assinado pelo general Alfred Jodl, chefe do Estado-Maior da Wehrmacht, em 7 de maio de 1945, no quartel-general americano de Reims (leste da França).

Do lado dos vencedores, a ata foi rubricada pelo general Walter Bodell-Smith, chefe do Estado-Maior do general Dwight Eisenhower, comandante supremo dos Aliados, e o general soviético Ivan Susloparov.

O general francês François Sevez, chefe do Estado-Maior do general Charles de Gaulle, foi convidado para assiná-lo na qualidade de simples testemunha.

Tratava-se de uma ata puramente militar de rendição (Act of Military Surrender), que exigia das tropas alemãs o fim dos combates em 8 de maio, às 23h01 (hora da Europa Central) e que obedecessem às ordens impostas.

A segunda capitulação foi firmada em 8 de maio, em Karlshorstla, na periferia de Berlim, na Escola de Engenharia Militar da Wehrmacht, onde tinha sido instalado o QG das forças soviéticas.

Nessa cerimônia, houve episódios curiosos. Em primeiro lugar, começou mais tarde do que o previsto, devido ao atraso dos três principais chefes do Exército alemão que deveriam assinar o documento: o marechal Wilhelm Keitel (Exército), o general Hans-Juergen Strumpff (Aeronáutica) e o almirante Hans Georg von Friedeburg (Marinha). Além disso, o texto da ata enviado de Moscou chegou com um erro.

Por outro lado, ao entrar na sala e ver o general francês Jean de Lattre de Tassigny, o marechal alemão Keitel teria comentado "não, você não!", ou, segundo outra versão: "os franceses também estão aqui? Só faltava isso".

A cerimônia de Berlim, exigida pelo líder soviético Joseph Stalin e presidida pelo marechal Georgi Yukov, começou em 8 de maio quase à meia-noite (ou seja, já era dia 9 de maio, em Moscou, devido à diferença de fuso), mas terminou em 9 de maio à 00h45.

Este documento definitivo de capitulação da Alemanha nazista, datado de 8 de maio de 1945, foi assinado pelo marechal Yukov e o marechal britânico Arthur William Tedder, em nome do comandante supremo do Corpo Expedicionário Aliado na Europa, e, como testemunhas, pelo general francês De Lattre de Tassigny e o general norte-americano Carl Spaatz.

O texto - bastante similar ao documento firmado em Reims - indicava que a Alemanha seria "completamente desarmada", que os navios e equipamentos militares não deviam ser destruídos e, finalmente, precisava que a ata tinha sido redigida em inglês, russo e alemão, mas que apenas os textos em inglês e russo deveriam ser considerados autênticos.

Em Londres, em 7 de maio, o então primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, se preparava para proclamar o fim da guerra na Europa, após a assinatura da capitulação alemã de Reims. Seu discurso estava pronto e ele falaria às 15h, pela BBC, e depois às 18h. Nada aconteceu.

Essa demora, de acordo com os arquivos da BBC, obedeceu aos esforços do general Eisenhower para retardar o anúncio oficial, a fim de "implementar uma declaração simultânea em Londres, Washington e Moscou".

Finalmente, em 8 de maio de 1945, às 15h, Churchill anunciou a capitulação alemã, pela BBC. Seu discurso foi lido ao vivo de sua residência oficial, situada no número 10 de Downing Street.

Churchill acabou escolhendo o mesmo lugar simbólico, onde em 3 de setembro de 1939, após a invasão da Polônia, seu predecessor Neville Chamberlain anunciou a declaração de guerra à Alemanha nazista.

Ao terminar sua mensagem, Churchill apareceu em público para saudar a imensa multidão em delírio que festejava o fim da guerra: "esta é sua vitória".

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA