UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA



 Internacional

11/04/2006 - 09h24
Itália anuncia a prisão do chefão da Cosa Nostra

ROMA, 11 abr (AFP) - O homem mais procurado da Itália, o principal chefe da 'Cosa Nostra', a máfia siciliana, Bernardo Provenzano, foi preso na cidade de Corleone, perto de Palermo, na Sicília, informaram fontes judiciais nesta terça-feira.

O misterioso "capo máximo", fugitivo desde 1963, foi preso por policiais italianos, confirmaram o procurador adjunto Giuseppe Pignatone e dois juízes do departamento antimáfia. Provenzano, de 72 anos, considerado o rei das atividades da máfia italiana, é acusado de ter planejado, em 1992, os assassinatos dos dois juízes símbolos da operação 'Mãos Limpas', Giovanni Falcone e Paolo Borsellino. O rosto e a voz não eram conhecidos para as autoridades italianas, que o perseguiam há mais de 40 anos.

O "chefão", que deixou de ser um fantasma para o mundo depois que as autoridades traçaram, no ano passado, seu primeiro retrato-falado, não opôs resistência à prisão.

O mafioso siciliano se tornou o poderoso chefão da 'Cosa Nostra' em janeiro de 1993, depois da prisão de Toto Riina, o antigo líder da máfia conhecido como "A Besta".

A data da prisão não foi divulgada, mas a agência Ansa anunciou que ele já foi submetido a exames de DNA que comprovaram a identidade. Provenzano foi transferido para um local secreto.

Pignatone e os outros juízes qualificaram a prisão de uma "vitória muito importante".

"Isto significa que o atual chefe da Cosa Nostra vai enfrentar a justiça e também se encerra um período de busca que durou muito tempo", afirmaram os juízes citados pela Ansa.

Provenzano viveu escondido por mais da metade de sua vida.

Condenado seis vezes à prisão perpétua, a última fotografia disponível que a polícia tinha dele datava de 1959, mas, com a passagem do tempo, ficou muito difícil identificá-lo.

Apesar de a prisão de praticamente todos os seus cúmplices, as autoridades italianas acreditam que Provenzano ainda administrava as atividades da organização criminosa e que havia transformado a Cosa Nostra em algo muito mais secreto e difícil de combater.

Apelidado de 'O Trator' por causa da força que tinha para acabar com as vidas alheias, a gravação de sua voz, em 2005, provavelmente contribuiu para sua prisão e permitiu que a polícia não fizesse uma nova confusão, como aconteceu há dois anos, quando um bombeiro de Roma parecido com o mafioso foi detido.

Acostumado a andar sigilosamente há 42 anos por quase toda a Sicília, ele comandou a sangrenta guerra contra o Estado nos anos 90.

Invisível e camaleônico, o herdeiro de Toto Riina, chefe supremo da organização nos anos 80, não terá tempo para cumprir as várias condenações por causa da idade avançada.

Protegido pelo princípio da 'omertà' (a lei do silêncio: ninguém viu ou escutou nada), dom Bernardo era o principal fugitivo da história do Ocidente e provavelmente o último chefão de uma estirpe arrasada pela chegada de uma nova máfia, a recém-batizada Cosa Nuova.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA