UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA



 Internacional

08/05/2006 - 16h28
Oscar Arias: um Nobel da Paz assume a presidência da Costa Rica

SAN JOSE, 3 mar (AFP) - Oscar Arias Sánchez, um experiente político de 65 anos que já ganhou um Prêmio Nobel da Paz, assumiu novamente nesta segunda-feira a Presidência da Costa Rica para um período de quatro anos.

Arias foi eleito no dia 5 de fevereiro por uma estreita margem de 1% em relação ao candidato do Partido Ação Cidadã (PAC), Ottón Solís, em eleições marcadas por uma disputa em torno do Tratado de Livre Comércio com os Estados Unidos (TLC), cuja ratificação é apoiada pelo novo presidente.

Depois das eleições, Arias prometeu iniciar um diálogo com todos os setores para impulsionar esta nação de 4,2 milhões de habitantes, que criticam seus políticos por falta de transparência, corrupção e ineficácia na luta contra a pobreza.

Apesar de seu sucesso na pacificação da América Central há 20 anos, Arias chega ao poder com o apoio de apenas um quarto do eleitorado.

Muitos identificam Arias como um político "neoliberal" e o acusam de estar a serviço dos grandes capitais do país e das transnacionais.

Arias afirma não ser neoliberal, mas "um social-democrata moderno" que quer que a "Costa Rica caminhe novamente" e, por isso, "pretende lançar as bases para transformá-la num prazo de 20 anos no primeiro país desenvolvido da América Latina".

Aos 65 anos, o político não tem a energia que mostrou em sua primeira gestão e alguns afirmam que está doente, mas os membros de sua equipe asseguram que está "em perfeito estado de saúde".

Arias tem um problema crônico de asma, assim como de hipertensão arterial, mas ambos os problemas estão totalmente sob controle, asseguram seus médicos particulares.

Seus detratores o acusam de prepotente, arrogante e auto-suficiente, uma pessoa acostumada a olhar por cima do ombro dos outros. Mas seus seguidores destacam sua sólida formação de advogado e de doutor em ciências políticas, graduado no Reino Unido.

Seus adversários também criticam as mudanças constantes em suas posições. Há seis anos falava que venderia os ativos do Estado e privatizaria as telecomunicações e os seguros, mas esse discurso mudou logo depois das manifestações de 2000, que obrigaram o então presidente Miguel Angel Rodríguez a recuar em seu projeto de privatização.

Arias é um defensor do TLC com os Estados Unidos, mas evitou o tema durante a campanha. Depois de vencer as eleições, declarou que o tratado é um assunto "vital" para a economia do país.

O novo presidente propôs aumentar os impostos para financiar a melhoria do sistema educativo, da segurança pública e da infra-estrutura viária, entre outros itens.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA