UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

19/10/2006 - 14h20
Antigo fóssil de peixe preenche lacuna evolutiva, afirmam cientistas

SYDNEY, 19 out (AFP) - Um fóssil de 380 milhões de anos preencheu uma lacuna no entendimento de como os peixes evoluíram para os primeiros animais terrestres, afirmaram cientistas australianos nesta quinta-feira.

O esqueleto perfeitamente preservado revelou que o peixe desenvolveu características de animais terrestres muito mais cedo do que se pensava, disse o chefe das pesquisas John Long, do Museu Victoria, na Austrália.

"Conseguimos um peixe do período devoniano, cerca de 380 milhões de anos atrás, e preservado em uma impressionante perfeição tridimensional", disse Long.

"Ele revelou um conjunto inteiro de características que o liga a animais terrestres ou tetrápodes, portanto preenche uma lacuna na evolução a qual não conhecíamos antes", acrescentou.

O fóssil do peixe Gogonasus, encontrado na remota região de Kimberley, na Austrália ocidental, onde existiu no passado uma grande formação de coral, mostrava que o crânio tinha grandes buracos para respirar no topo da cabeça.

Ele também era dotado de nadadeiras musculares dianteiras com úmero, ulna e rádio bem formados, os mesmos ossos encontrados no braço humano, disseram os cientistas.

"O nível ao qual estas características lembram os mais remotos animais terrestres tetrápodes torna o Gogonasus um novo modelo na imagem de como os peixes evoluíram para animais terrestres", destacaram.

"O Gogonasus é a pista-chave na evolução dos vertebrados - o primeiro esqueleto perfeito e completo dos tipos de peixes que deram origem aos primeiros animais terrestres", acrescentaram.

A transição de um peixe respirando na água para um animal terrestre com pernas e braços foi uma das mais transições mais dramáticas na história da evolução e muitas perguntas sem resposta permaneceram, disse Long.

No início do ano, cientistas registraram a descoberta do Tiktaalik roseae, uma espécie de peixe com 375 milhões de anos considerado o elo perdido na transição de animais aquáticos para terrestres.

Enquanto o Tiktaalik tinha um crânio que era idêntico a um anfíbio, Long disse que o Gogonasus se parece muito mais com um peixe.

"Gostaria de dizer que é um lobo em pele de cordeiro. Mostra que a evolução não é direta como gostaríamos de pensar", acrescentou.

O fóssil foi exibido no Museu de Melbourne nesta quinta-feira e permanecerá em exposição por um mês.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA