UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA



 Internacional

27/05/2007 - 18h09
Hugo Chávez acaba com TV mais antiga da Venezuela

CARACAS, 27 maio 2007 (AFP) - As transmissões da Radio Caracas Televisión (RCTV) terminam à meia-noite deste domingo, pondo fim a uma emissora que fez história na Venezuela, mas cometeu o erro de desafiar o presidente Hugo Chávez.

Em seu último dia no ar, a RCTV apresenta um resumo de seus 53 anos, com a participação de atores, animadores, jornalistas e técnicos, que aparecem diante de uma bandeira da Venezuela e não poupam críticas ao presidente venezuelano, que qualifica o canal de golpista.

Milhares de venezuelanos protestaram contra o fechamento da RTCV com um "panelaço" que começou na madrugada deste domingo, no centro de Caracas, e se estendeu inclusive aos bairros populares, tradicionalmente fiéis a Chávez.

Os manifestantes se reuniram durante a noite em várias praças de Caracas, enquanto outros circulavam de carro ou de moto pelas ruas para denunciar o fechamento da RCTV. Chávez planeja organizar uma contra-manifestação para comemorar o lançamento da nova "televisão socialista" (TVES), financiada pelo Estado, que vai ocupar o sinal e utilizar os equipamentos da RCTV.

O presidente, que acusa a RCTV de ter apoiado o golpe de Estado contra ele em 2002, se manteve firme na decisão de não renovar a concessão do canal, apesar dos protestos internos e externos.

O presidente montou um importante esquema de segurança para enfrentar os protestos, que inclui centenas de blindados da Força Nacional e até civis voluntários.

Segundo pesquisas, mais de 70% dos venezuelanos reprovam o fechamento da RCTV, um canal muito popular por seus programas, novelas e jornalismo.

O proprietário da RCTV, Marcel Granier, ainda acreditava neste domingo em um recuo de Chávez: Não perco a esperança antes da meia-noite, creio que reagirá com sensatez, por que está cometendo muitos atropelos que geram graves conseqüências. Ainda tem a oportunidade de corrigir o erro".

No sábado, ao confirmar o fim da concessão à RCTV, Chávez advertiu a oposição para não se aproveitar do fato: "Faço um apelo ao país para que ninguém caia em provocações para que nenhum grupo se preste a criar o caos".

Os protestos têm o apoio dos partidos de oposição Um Novo Tempo (UNT) e Primeiro Justiça (PJ), mas mobilizam jornalistas, artistas, militantes de diversos grupos e, principalmente, os espectadores da RCTV, incluindo eleitores de Chávez.

A justiça venezuelana deu o tiro de misericórdia na RCTV na noite de sexta-feira, ao decidir entregar toda sua infra-estrutura ao novo canal estatal, a TVES, para garantir uma cobertura nacional e qualidade de transmissão.

Chávez justificou a medida ao afirmar que "os donos da rede de televisão privada tinham um plano para sabotar o sinal do novo canal".

Paralelamente, a Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) renovou a concessão, na sexta-feira, da principal concorrente da RCTV, a Venevisión, do magnata Gustavo Cisneros, que amenizou seus ataques à Chávez desde a reeleição do presidente, em 2006.


ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA