UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

31/03/2008 - 08h50
PCC planejava seqüestrar autoridades em São Paulo

São Paulo - A facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) quer desestabilizar o sistema prisional de São Paulo. Os planos da facção foram descobertos depois que conversas entre seus líderes e o advogado Sérgio Wesley da Cunha foram interceptadas com autorização judicial pela inteligência do governo estadual. Elas mostram que a organização criminosa planejava o seqüestro ou assassinato de coordenadores do sistema. A idéia era disfarçar de advogados os homens que cumpririam essa missão a fim de que eles pudessem entrar armados nas sedes das coordenadorias.

O PCC quer desestabilizar o sistema prisional de São Paulo. Escutas telefônicas mostram que a organização criminosa planejava o seqüestro ou assassinato de coordenadores do sistema prisional. A idéia era disfarçar de advogados os homens que cumpririam essa missão a fim de que eles pudessem entrar armados nas coordenadorias.
SEQÜESTRO DE AUTORIDADES
LEIA MAIS
PPC NEGOCIA COM AS FARC
PCC FATURA MAIS 511%
Os chefes do PCC discutiram a compra de "ferramentas" (armas) para a execução do trabalho e deixaram claro: "Essa é uma prioridade financeira." O advogado Wesley se comprometeu a fazer relatórios sobre essa atividade e alertou que usaria um computador para evitar um possível exame grafotécnico - no passado, a polícia usou esse teste para provar que um advogado trabalhava como pombo-correio da organização.

No diálogo gravado, Daniel Vinícius Canônico, porta-voz de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, pede "sigilo absoluto" sobre "essas idéias". Ele questionou o advogado sobre a segurança das coordenadorias. Canônico perguntou ao advogado se seria possível entrar na sede da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e o advogado explicou que lá "é embaçadinho". Em 13 de fevereiro de 2002, o PCC atacou com granadas a sede da SAP. Na época, ela ocupava um prédio na Avenida São João, no centro de São Paulo. O atentado deixou três funcionários feridos.

A cúpula do PCC também planejou usar garotas de programa para atrair dirigentes do sistema prisional para uma armadilha. O interesse da organização criminosa nas coordenadorias pode ser explicado pela prisão de dois homens e duas mulheres em Presidente Epitácio, ocorrida em 31 de janeiro. Os quatro faziam parte de um grupo de seqüestradores que pretendia apanhar diretores de presídios da região e suas família. Os parentes dos funcionários seriam mantidos reféns enquanto os diretores seriam obrigados a facilitar a fuga da cúpula da facção - Marcola, por exemplo, cumpre pena em Presidente Venceslau.

O governo reagiu. Canônico e Carambola foram internados no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). O advogado foi preso em 10 de março. Denunciado por formação de quadrilha, a Justiça decretou sua prisão preventiva. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE


Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA