UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
GUIAS DE RAÇAS | Cães

RHODESIAN RIDGEBACK

Musculoso, ativo, resistente e rápido, o Rhodesian Ridgeback chama a atenção pela sua pelagem dourada e brilhante e pela grande agilidade e perseverança.

Ótimo caçador de leões e sempre fiel aos Boers (nativos descendentes de colonizadores holandeses) durante as caçadas, tornou-se hoje um excelente cão de guarda e companheiro.

Quando filhote, o Rhodesian é trapalhão e irrequieto. Adora brincar, cavar buracos e subir em cima dos sofás da casa. São companhias ideais para jovens e pessoas ativas.

Quando cresce, ele se torna um cão mais calmo e compreensivo, adaptando-se facilmente a novos animais, mesmo quando esses "intrusos" são gatos.

Já com pessoas estranhas, ele é reservado. Não chega a ser agressivo, mas não confia em qualquer um que entre em sua casa.

Como cão de caça, dificilmente late e gosta de estar sempre próximo ao dono. É obediente e aprende rápido, o que facilita o adestramento.

Sua pelagem curta, densa e brilhante deve ser caramelo ou castanha, podendo ter marcações brancas no peito. Sua altura varia de 61 a 68 centímetros e peso de 30 a 39 quilos.  
Ativo e musculoso, precisa de exercícios diários, em locais onde possa correr e brincar. A pelagem curta é fácil de cuidar. Displasia no quadril e doenças dermatológicas são os problemas de saúde mais apontados nesta raça. Sua expectativa de vida é de 9 a 11 anos, embora há casos nos quais um cão chegou aos 16 anos.
CUIDADOS BÁSICOS
Porte: Grande
Origem: África do Sul

Curiosidade

Por mais educado que seja, o Rhodesian nunca resiste às guloseimas que encontra pelo caminho. Mesmo elas estando no alto de uma mesa. Quanto mais comida for dada para esse cão, mais ele comerá.

História

Com uma longa crista simétrica de pêlos no dorso (eles nascem em direção contrária ao resto da pelagem), o Rhodesian Ridgeback, conhecido também por African Lion Hound, originou-se na África do Sul, no século 18, com os fazendeiros Boers. Nos séculos 16 e 17, holandeses e alemães migraram para a África com cães Dinamarqueses, Mastiffs e Bloodhounds. No início do século 18, a imigração européia foi fechada e as raças de cães européias começaram a cruzar com os Hottentots (cães nativos, selvagens e utilizados para a caça), originando os Rhodesians.


Hospedagem: UOL Host